Somos mais do que amigos sinais

Sentir que não está dando conta das atividades do dia a dia também pode ser um aviso do seu corpo e da sua mente de que é hora de parar um pouco. Essa insatisfação pode ser momentânea e viajar para conhecer um lugar diferente, explorar a gastronomia e novas culturas e encarar novidades pode ser a resposta para uma rotina mais feliz e ... Querer ver cada vez mais a pessoa, ficar mais perto, sentir vontade de ter mais proximidade e até mesmo ficar ansioso para vê-lo podem ser sinais do seu inconsciente, que está tentando te dar sinais de que só o sentimento de amizade pode já não ser o suficiente pra te deixar feliz. Frases de amor para enviar a um amigo Compartilhar A inteligência nem sempre é assim tão óbvia e se você só tem dois amigos, se sempre parece ser meio solitário ou se é um perfeccionista, é bem provável que você seja mais inteligente do que boa parte das pessoas que estão ao seu redor. Muito bem seu sabichão! Vamos ver quais são esses sinais, então. 1. Você gosta de ficar sozinho ++ 15 coisas boas que aprendemos com os ex. Se essa pergunta já passou pela sua cabeça alguma vez, há grandes chances de você realmente estar apaixonada pelo seu melhor amigo. Muitas vezes, acabamos confundido amizade com amor, e por carência ou medo de ficar sozinha, achamos que estamos apaixonadas por amigos. 24/jun/2020 - Explore a pasta 'sinais no ceus' de Gomes Silva no Pinterest. Veja mais ideias sobre Sinais, Nuvens estranhas, Coisas estranhas no ceu. Bons amigos ajudam uns aos outros de vez em quando ou quando solicitado, mas amigos que são mais do que amigos tentam estar lá um para o outro o tempo todo, quer se trate de comprar roupas novas, trabalhando em um projeto ou tomar uma decisão importante. 20 SINAIS ELE QUER SER MAIS DO QUE AMIGOS. Confira a lista de 20 sinais ele quer ser mais do que amigos: 1- Ele lhe dar muita atenção. O homem só vai dar uma atenção para uma mulher quando ele está interessado. Se você o chama para conversar por mensagens de texto e ele te responde e fica minutos e até horas falando com você. Eles eram apenas amigos, mas, durante uma conversa sobre o passado, família e um acidente que levou a mãe e o irmão de Sonia, ela percebeu que ele não era apenas um amigo, era muito mais do ... Se você anda desconfiando de que seu amigo está querendo algo mais, fique atenta a esses 15 sinais de que seu amigo está apaixonado por você. Preste atenção no dia a dia e descubra uma nova paixão bem mais perto do que você esperava.

uma mensagem que você nunca vai ler.

2020.09.06 22:23 cerisedinosaur uma mensagem que você nunca vai ler.

às vezes eu me pergunto: o que exatamente eu tô esperando? quando eu digo a mim mesma pra ter paciência ou que vale a pena aguentar a dor e todas as dúvidas qual será o prêmio pelo qual eu tanto aguardo?
será que, em algum canto do meu subconsciente, eu acredito que nós um dia vamos voltar a ser como antes? quando tudo era mágico e o mundo girava ao nosso redor ninguém podia nos parar pelo menos era o que nós achávamos
nos tornamos melhores amigos por acaso, timidamente desde aquele dia no intervalo da escola quando eu te vi escutando minha música favorita e te dei oi e depois de algumas semanas, sem nem percebermos, nós riamos juntos o dia todo por horas e horas em ligação você me contou seus segredos mais profundos e eu te contei os meus
era engraçado como você não conseguia esconder as suas bochechas vermelhas toda vez que me via ou seu sorriso bobo confesso que eu também sorria pra você
quando começamos a namorar, você me colocou no seu mais alto pedestal eu era sua rainha e você era meu porto seguro nunca fui tão feliz na vida quanto naqueles 3 meses iniciais
parecia tão real tão nítido tão óbvio que seríamos pra sempre
então por que você mudou tanto? por que você me evita agora? você usa a desculpa de que odeia escrever mensagens, por isso responde pouco mas quando eu estou com você, você escreve pros seus amigos sem problema nenhum mais do que pra mim acho que é porque você gosta deles de verdade
eu tento fingir que não percebo mas eu sei que você me liga estrategicamente quando sabe que eu tô morrendo de sono assim não precisamos conversar tanto
mas eu não posso te culpar eu te destruí demais e agora você me destrói acho que é um ciclo, não?
eu ignorei todos os sinais de que nós não éramos o certo afinal, como não poderíamos ser? nossa história se iniciou como a de um filme era tudo tangível demais pra ser mentira
mas talvez não tenha sido falso foi real definitivamente a coisa mais real que eu já senti sei que você também
mas o tempo passa e às vezes só amor não é o suficiente e me dói aceitar que talvez lá no fundo eu saiba que já não tem sentido eu esperar por você
nesse 1 ano que estamos juntos 9 meses foram um pesadelo perdi gente por sua causa fiz escolhas ruins por sua causa e você também se estragou por mim
hoje eu não me reconheço mais e é doloroso olhar pra você e não te ver
é ruim a pressão no peito que eu sinto quando te ligo e você quer fazer outra coisa ou quando eu tento conversar, mas você nunca parece interessado você não pergunta mais como eu estou ou se eu dormi bem
nem mesmo aquelas ligações aleatórias me mandando tomar água que você fazia quando nós éramos apenas amigos nada
eu sinto fisicamente que você já se foi
seus "eu te amo" e declarações não são mais o suficiente talvez o problema seja eu ou nós
eu sempre disse que morreria por você eu só não percebi que eu morri por nossa causa e agora o nosso lindo "a gente" que era eterno
não existe mais
somos só dois corpos que não se conhecem se encontrando todos os dias por rotina dizendo "eu te amo" como um pedido de desculpas ou por simples impulso
talvez eu deva tomar coragem e ir embora talvez eu deva aceitar que você parece muito mais feliz quando eu não estou por perto.
submitted by cerisedinosaur to desabafos [link] [comments]


2020.08.26 13:37 julx22 Minha amiga quer ser mais que uma amiga...

Gente, bom dia...
Lá vai um texto gigante. Quem não quiser ler, pode ir para o final e pegar o resumão.
Embora muitos vão dizer que isso aqui é reclamar de barriga cheia, isso está me angustiando bastante... Eu tenho uma amiga. Uma BOA amiga com quem eu tenho bastante intimidade. Assistimos filmes grudados, nos abraçamos, trocamos carinho, palavras de conforto, deitamos na mesma cama, etc. E embora eu gostasse de tudo isso por si só, já que não sinto atração sexual nem por ela, nem por ninguém, deixei levar como uma amizade. E assim continuou até pouco tempo atrás.
Tenho percebido diversos sinais de que ela gosta de mim de outro jeito. Rolaram uns flertes aqui e ali, umas caras coradas, uns corações no texto e uns tweets descarados por parte dela que me deixaram todo sem jeito, pois pareciam muito direcionados a mim e sempre ocorriam depois de nossos encontros. Sempre algo do tipo: como certa pessoa me faz feliz e uns posts reclamando da friendzone. Muitos rapazes vão achar graça que sou um homem dando friendzone numa mulher, mas devo advertí-los que isso é algo bastante chato de se fazer e que me causa bastante angústia.
Meus amigos me recomendaram que eu me declarasse para ela, pedindo ela finalmente em namoro. Sim, o que eles dizem faz sentido: eu gosto dela, conheço ela, sei que ela gosta de mim e tenho quase certeza do 'sim'. Mas a questão é: se me sinto completamente satisfeito nessa amizade do jeito que ela está, por que é que eu arriscaria um namoro? Em time vencedor não se mexe! A resposta deles foi a seguinte: "Se ela não te tornar seu namorado, tornará outro cara. E nisso sua linda amizade vai desmoronar rapidamente.". Novamente concordo com a afirmação deles. Mas será que eu me declarar apenas por medo é uma resposta adequada? Não por amor, mas por medo de perder a pessoa!
Eles me dizem que um namoro seria mais interessante que uma amizade, mas eu discordo. Como amigos, somos próximos por escolha. Todos os dias que decidimos ficar juntos, é uma escolha consciente, não motivada por qualquer ator externo, fato social que nos indica que, já que somos namorados, TEMOS que ficar juntos aos fins de semana e TEMOS que nos mandar bom-dia e boa-noite, e TEMOS que sair pra comer alguma coisa de vez em quando, e TEMOS que fazer isso, aquilo e aquilo outro.
Nossa relação iria mudar muito, e para pior. Quando saíamos para comer, ninguém esperava que eu fosse lá buscar ela, que pagasse pela comida de ambos e que a levasse de volta à sua casa. Éramos apenas amigos! Por que é que eu assumiria essa responsabilidade? E por que eu? Estamos em pleno 2020, por que é que sou eu quem tenho que pagar a conta e dirigir? Embora alguns (algumas) de vocês digam que nem toda mulher faz questão disso, é claro que serei comparado com os ex-namorados dela. Sim, a grande maioria foi tóxica e ciumenta, mas eram cavalheiros e faziam tudo o que eu disse acima, de acordo com as expectativas da sociedade. Se eu falhar nisso, serei necessariamente julgado pela família dela, e no pior dos casos, por ela mesma. "Será que não valho o preço do lanche que como? Que minha companhia não vale o preço da corrida de uber?". Meu amor, é claro que vale! Mas e a minha? Se eu o fizesse tudo, me pareceria que só eu aprecio esta relação e nossos encontros, o que seria péssimo para a manutenção deste nosso relacionamento...
Estou bastante angustiado com essa situação. Estou entre a cruz e a espada. Vou resumir em situações:
1- Não me declaro. Continuamos como bons amigos por anos e anos, com esta relação não sendo afetada por namoros.
2- Não me declaro. Em pouco tempo ela arruma um namorado e me joga para escanteio, o que me chatearia bastante.
3- Me declaro. Aparentemente eu me enganei nos sinais que recebi, e ela não deseja nada mais que uma amizade platônica. Isso não afeta nossa amizade.
4- Me declaro. Aparentemente eu me enganei nos sinais que recebi, e ela não deseja nada mais que uma amizade platônica. Isso abala nossa amizade. Torna as coisas estranhas.
5- Me declaro. Começamos a namorar. As expectativas sociais perante ambos de nós e o pacto de exclusividade acaba nos tornando ciumentos e ranzinzas, o que destruirá nossa relação bastante rapidamente.
  1. Me declaro. Começamos a namorar. Sendo ela uma moça fora da caixa, ela de jeito nenhum espera de mim os papeis de gênero impostos ao homem e nosso namoro segue um curso tranquilo.
  2. Independente de como nosso namoro flui, descubro que me declarei erroneamente, pois não sentia nada além de medo de perdê-la, sem amor algum.
Resumão:
Tem uma menina que gosta de mim, mas eu não sei se estou disposto a começar a namorar com ela, pois acho que isto poderia estragar a amizade linda que a gente já tem. De certo modo podemos dizer que quero apenas continuar nesta amizade meio flertante e super íntima indefinidamente, embora saiba que isso é improvável de durar muito. Não estava a fim de ter um relacionamento padrão com ela, mas tenho medo de perdê-la para algum concorrente. E agora?
submitted by julx22 to desabafos [link] [comments]


2020.08.16 16:53 masbahmeu SOU BABACA DE NÃO PERDOAR MINHA IRMÃ DEPOIS DELA SAIR DO ARMÁRIO POR MIM??

Oii lubisco, gatas, luna, luno, possível convidado e turma q está a ver Antes de tudo, três pequenos contextos: 1. Minha família é extremamente homofóbica. 2. Minha irmã, vou chamar ela de Carls, (não somos de sangue, ela é filha do meu padrasto, mas eu vivo com ela a minha vida inteira quase) sempre me tratou mal, e com o tempo eu desenvolvi varias coisas, tipo auto estima muito baixa, já q ela sempre me dizia que eu não servia pra nada e era super feia e bla bla bla, talvez ansiedade e depressão (não posso me diagnosticar mas no começo da pandemia eu passei por um momento tenso de querer me não viver, não dormir de noite, ouvir vozes e essas coisinhas) 3. Meu pai de verdade foi comprar cigarro (sinônimo para ser um babaca) e por isso EU sempre considerei o meu padrasto como meu pai, mas ele não pode admitir isso já que a Carls nunca deixou, dai as vezes ele me trata mal por causa dela, pra não alimentar o ciúme e tudo mais, já que eu moro com ele hoje em dia e ela mora em outra cidade com a mãe dela.
Tudo bem, agora a história... Como já perceberam, a Carls ama fazer qualquer coisa pra me deixar pra baixo, então (eu descobri recentemente) nos últimos TRÊS ANOS ela ficou espalhando pra minha familia desse lado que eu sou lésbica, sabendo que a familia era homofóbica e que ninguém aceitaria. Mentira não era, eu descobri que eu sou algumas semanas atrás, porque a minha mãe e a minha dinha tentaram ter várias conversas comigo, do tipo “eu espero do fundo do meu coração que você não seja lésbica”, “não existe duas mulheres e dois homens no sequiso, existe o buraco e o negocio q vai dentro”. Nesse dia ela tentou “me obrigar” a sair do armário, mesmo que ela não quisesse a resposta, eu estava começando a ficar confusa sobre, então eu só respondi que eu não sabia da minha sexualidade e ela surtou, disse que na época dela, ela já sabia que gostava de r#[email protected] e que era impossível eu não saber, ela também reclamou que eu não tenho amigos kkkkk. Falou outras coisas homofóbicas enquanto eu ria na cara dela. Ps: nesse meio tempo, minha prima posta um status no WhatsApp dizendo que ela era bi, mas com uma foto minha de fundo, minha familia descobriu e passaram pano pra ela, então minha prima começou a inventar boatos que eu era bi pra amenizar o lado dela. Além disso tudo ainda tem os claros sinais que eu sem querer dei com o tempo, tipo nunca querendo namorar (mesmo que a minha mãe e o meu padrasto me empurrassem macho o tempo todo), odiar beijar guri (não sei como eu não descobri depois dessa), mas pra mim era normal, sabe? Pra mim todo mundo só fingia gostar de beijar na boca KKK iludida. Enfim, já que eu fui ensinada de pequena que isso era extremamente errado, eu tinha certeza (nem cogitava outra coisa) que eu era hetero enquanto minha familia inteira já sabia que eu não era. Mas agora eu tenho medo de falar pra minha familia, porque eu tenho certeza que eles vão dizer “isso ai é coisa das suas amiguinhas gays” ou que é influência da Carls, que a minha irmã colocou tudo isso na minha cabeça e bla bla bla Isso que o meu padrasto acha que eu tô brava com a Carls só porque ela foi fazer uma maquiagem em mim e quase furou o meu olho (nesse dia eu me dispus a ajudar ela, mas a Carls decidiu gritar cmg o tempo todo e fazer o meu olho de jeito grosseiro, o que me fazia chorar e me fez dEsTrUir A mAQuiAgEm), ou seja, meu padrasto pensa que eu tô agindo feito criança porque a Carls distorceu tudo. Sempre que ela fica aqui em casa minha auto estima abaixa muito e eu me sinto um lixo, sou babaca por não perdoar ela? Ps2: Alguma dica de como contar pra familia? Tenho certeza que vamos sair de “fecha a boca e malha, você ta muito gorda” para “que deus elimine essa doença que você tem” kkkkkk Ps3: obrigada por lerem até aqui, mesmo que ninguém veja já me ajudou muito colocar pra fora... =30
submitted by masbahmeu to TurmaFeira [link] [comments]


2020.08.12 15:44 sairennorebi Fui a babaca por contar a história de como eu e meu marido nos conhecemos? #Turmafeira

Oi Luba, editores, possível convidado virtual, gatas, papelões sobreviventes e turma que está a ver, quero muito participar por que preciso saber se eu fui a babaca na história.
Bom Luba, eu tinha uns 18 anos na época e minha amiga a mesma idade que eu, vamos chama-la de Karla para não expor. Nós éramos melhores amigas desde crianças. Somos da mesma igreja e, após eu ter um término com meu ex namorado entrei pra um dos grupos que tinha na minha igreja que ela participava. Assim que eu entrei reparei em um rapaz que também fazia parte e logo eu dei uma desculpa para pegar o número dele e começamos a conversar cada vez mais, vamos chamar ele de Carlos. Um tempo depois que estávamos conversando comecei a gostar dele e como eu e a Karla éramos melhores amigas eu fui contar pra ela. Quando contei ela disse que também gostava dele mas que não tinha tido coragem de chegar nele. A questão é que a Karla realmente é mais tímida que eu, mas ela conhecia ele antes de mim e não tinha me falado nada. O clima ficou meio tenso por um tempo e eu até pensei em me afastar do Carlos, afinal não queria perder a amizade dela, mas um tempo depois, quando as coisas estavam começando a ficar mais normais, Calos veio me falar que o melhor amigo dele estava gostando da Karla, vamos chama-lo de Tiago e que queria saber como chegar nela. (Ps. Carlos descobriu que eu e a Karla estávamos gostando dele pela mãe do Tiago, ela era líder desse grupo da igreja que participávamos.) Tiago também era muito tímido então não tinha muita coragem de chegar na Karla mas com algumas dicas ele conseguiu e os dois se aproximaram. Eu e o Carlos começamos a namorar e pouco tempo depois a Karla e o Tiago também, o que era bem legal por que saíamos juntos e éramos um grupo de melhores amigos. Tenho que deixar claro também que Tiago, com o passar do tempo começou a dar sinais de ser meio babaca com a Karla, como fazer ela sair de um emprego que ela estava ganhando muito bem pra ir pra outro que ela ganharia salário mínimo só porque no primeiro ela tinha que ir super arrumada pro trabalho (era corretora de imóveis), isso por que ela ainda está não era formada e tinha que pagar sua própria faculdade por que os pais dela não tinha condição, enquanto ele era formado e não trabalhava e ficava o dia todo em casa jogando.
Passaram-se anos nesse meio termo e Carlos e eu começamos um relacionamento a distância por que ele foi estudar medicina em outro país, e mesmo assim continuávamos juntos e com uma relação muito boa. No último ano, eu já tinha 22 anos, estava nas férias e Carlos estava comigo e fomos no aniversário da irmã de Tiago (ela era muito minha amiga e do Carlos também) e tinha outra amiga nossa lá, vamos chama-la de Larissa, ela veio me contar que tinha começado um relacionamento e que tinha começado meio errado e que tinha sido muito complicado e que estava com medo de por ter começado errado dar tudo errado (detalhe eu estava noiva do Carlos nesse dia e já estávamos próximo do casamento). Com ela me contando isso resolvi contar pra ela como foi o começo do meu relacionamento com o Carlos e como foi difícil porque eu tinha uma amiga que gostava dele, mas eu troquei todos os nomes e não expus ninguém, para mostrar pra ela que as vezes começa difícil como forma de provação pra ver o quanto as pessoas se gostam mesmo, mas que no final podia dar certo. O problema foi que a Karla e o Tiago estava perto e eu não vi, ela escutou tudo e ficou muito puta comigo. Fiquei sabendo depois que o Tiago tinha brigado muito com ela, falando que ele tinha sido o resto, que na verdade ela queria ter ficado com o Carlos (eles já tinham mais de 3 anos de namoro), sendo que ele sempre soube do começo da história, até por que foi a mãe dele que contou tudo pro Carlos. Resumindo ela ficou muito brava comigo e hoje não olha nem na minha cara, detalhe, eles eram nossos padrinhos de casamento e depois disso tivemos que achar outro casal às pressas por que estava perto do casamento. Durante a briga eu disse pra ela que ela estava deixando o Tiago decidir tudo da vida dela inclusive quem ela seria amiga e por isso ela estaria se afastando de mim, mas ela diz que eu inventei toda aquela história e que ela nunca tinha gostado do Carlos, sendo que tem outros amigos nossos que viveram esse momento conosco e sabem que é tudo verdade.
Atualmente estou casada com o Carlos e estamos vivendo muito feliz com ele no Peru (onde ele faz medicina). Ela continua o relacionamento com o Tiago e até onde eu sei ele está morando em outra cidade mas ainda controla cada movimento dela, não deixando ela ter amigos que ele não queira e nem fazer nada que ele não deixe. A mãe dela (muito amiga da minha mãe) detesta o Tiago e tudo que ele tem feito com a filha dela, que antes era uma menina feliz e alegre, agora vivia triste e chorando.
Então, eu fui a babaca por ter contado a história de como eu e meu marido nos conhecemos para uma amiga?
submitted by sairennorebi to u/sairennorebi [link] [comments]


2020.05.29 02:50 Manu--amuh-o-Lubizco Gosto de um garoto da minha classe, mas não sei o que ele sente.

Oi...me chamo Manu. Desde o ano passado, sou apaixonada por um garoto da minha sala (vamos chamá-lo de “A”), mas somos muito novos para ter um relacionamento e não sei se ele sente o mesmo. Todos que eu conheço falam que ele sente o mesmo mas, a alguns sinais opostos também...Antes de entrarmos de quarentena eu descobri que ele gostava de uma novata da minha sala, e fiquei detonada com isso, dps de um tempo (ainda gostando dele) entramos de quarentena, e me declarei pra ele por meio de uma amiga pelo WhatsApp, ele só ignorou, mas continuou sendo meu amigo. Dps de dar muitas cantadinhas ruins, ele flertou comigo, e disse que não gostava mais da tal menina. Me declarei de novo por meio de um vídeo de um cara, que falava “ele(a) gosta de vc.” E ele respondeu com um coração é um beijo. Fiquei muito feliz,mas confusa. Passou um tempo e a professora falou que talvez teríamos um baile no final do ano se a pandemia não atrapalha-se tudo, e ele falou que queria ir no baile comigo. Contei pra minha amiga, mas eu ainda não tenho certeza se ele sente o msm por mim. Então, é isso!
submitted by Manu--amuh-o-Lubizco to desabafos [link] [comments]


2020.04.23 22:03 Melloph Ainda me sinto usado por um amigo que fez sexo comigo para experimentar a sexualidade dele e manipulado/pressionado pelos meus amigos para voltar a falar com ele

Tudo começou uma noite que nós ficamos bêbados. Acabamos fazendo sexo um com o outro. Depois ele continuou me procurando pra sexo. Os sinais que ele dava na cama e outros aspectos me fizeram interpretar que ele gostava de mim. Acabei me apaixonado por ele, foi por acaso. Numa noite em que estávamos juntos, eu simplesmente senti.
Acabei confessando meus sentimentos por ele depois de um tempo. E ele disse que não sentia nada por mim. Me afastei. Mas ele continuava me procurando, tentando falar comigo. Acho que ele não queria perder a amizade. Mas eu me recusava a falar com ele.
Enfim, depois de um tempo, 8 meses pra ser preciso, e dos nossos amigos em comum ficarem insistindo pra eu voltar a falar com ele, eu resolvi voltar a falar. Mais porque certas coisas que os meus amigos falaram me deram esperança de que alguma coisa tivesse mudado, e porque eles me fizeram sentir pressionado. Senti que ia perder a amizade com os outros se não voltasse a falar com ele. Eu me senti manipulado. Eu sinto que esses outros amigos me culpam por não falar com ele, mesmo que eu não estivesse falando com ele porque falar com ele me deixava mal.
Eu acabei tendo uma recaída por causa disso. Fizemos sexo de novo. Conversamos antes, claro. Ele disse que gostava de fazer sexo comigo e gostaria de continuar se isso fosse possível. Eu disse que a gente podia tentar e que eu só ia saber se isso ia me machucar se eu fizesse. O ponto é que talvez eu esteja fazendo isso porque não consigo me controlar na frente dele, e porque eu talvez tenha expectativas de que ele corresponda. Mas eu percebi que ele me evita quando eu chamo ele pra fazer algo, ou cancela comigo no dia que marcamos. A gente só se vê quando ele me chama. Eu digo sim, porque sou um idiota. Ele também não quer dar nome aos bois. Disse que somos amigos que transam. Pra mim, isso tem outro nome. Mas a esse ponto, isso é o de menos.
Enfim, isso faz eu sentir que ele não está nem aí. Ele também flerta e fica com outros homens na minha frente (inclusive com um amigo em comum nosso, o que me deixa extremamente desconfortável). Isso me deixa com ciúmes também.
Mas todo mundo ao meu redor age e faz eu sentir como se a culpa fosse toda minha por ter me apaixonado. E ao mesmo tempo ninguém deixa eu me afastar dele. Eu sinto que os meus amigos preferem ele a mim e me abandonaram num momento de alta vulnerabilidade. Eu sinto que eles me forçam a voltar a ser amigo dele, quando não é isso que eu quero. Isso é o que ele quer. E eu sinto que os meus amigos pensam que eu sou uma pessoa ruim por me afastar. Por recusar uma amizade que vai deixar mal. Pelo menos agora.
Eu sinto que ninguém ficou do meu lado. Me usado por ele, e manipulado pelos meus amigos. Ele se desculpa dizendo que não sabia de nada. Sinto que aos poucos estou sendo abandonado pelos meus amigos. Isso num momento que minha auto estima está destruída. Eu sei que é escroto dizer isso, mas já que estou aqui vou falar logo, afinal é o que estou sentindo, e não consigo mudar o que estou sentindo... Vou dizer: espero que o karma pegue todos eles.
submitted by Melloph to desabafos [link] [comments]


2020.04.10 23:40 RaFlamenguista As aparências enganam...

Eu tinha acabado de conhecer uma pessoa aqui da minha cidade por causa uma amiga minha, soube que ela tinha Instagram e comecei a conversar com ela, tanto ela como eu nos identificamos muito mesmo no começo e viramos praticamente melhores amigo pq tínhamos muito em comum e a gente sempre conseguia manter um assunto Interessante e a gente conversava todos os dias, eu gostava muito dela e aparentemente ela também mostrava sinais de que gostava de mim, senti que realmente encontrei alguém que me identificava e que não faria nenhum mal a mim.
Na época eu estudava de manhã e ela de tarde, assim eu nunca tinha visto ela na minha frente a olho nu mesmo, tudo isso aconteceu em 2018.
Chegou 2019 e coincidentemente ela ia estudar de manhã comigo, tinha tudo para dar certo mas eu tinha que ir pra tarde por causa do horário e do transporte, quando soube que ela tinha ido para manhã fiquei um pouco abalado porque eu queria estudar junto com ela mas a vida seguiu e a gente continuou muito amigo, no começo do ano (específicadamente final de fevereiro e começo de março), eu tinha pedido ela em namoro mas ela disse que tava indecisa porque eu tinha "pegado ela de surpresa" e não sabia o que dizer no momento então ela deixou praticamente a decisão pendente, dias depois com a ajuda de um amigo meu eu pôde ver ela pela primeira vez na grade da escola na hora do intervalo, tanto eu como ela ficamos muito felizes e no momento a gente conversou muito.
Depois desse dia, o meu amigo começou a falar umas coisas estranhas para mim, dizendo que precisava contar algo pra mim mas no final ele nunca contava, ele dizia que eu ia começar a odiar ele se eu soubesse, imaginava que era algo surreal ou sei lá, dias depois eu acabei descobrindo o que houve, ela o grupo estavam fazendo um trabalho de escola na casa dele e depois ela pegou ele de surpresa e beijou ele forçadamente sabendo que eu gostava dela e sabendo que meu amigo (que ela beijou) namorava, eu me senti enganado no momento e depois disso eu nunca mais falei com ela.
Meu amigo quase ficou com depressão por causa disso, ele achava que ele tinha me magoado muito e que a gente não ia mais ser amigo sem contar o fato que ele perdeu a namorada por causa disso, eu continuei muito amigo dele porque eu sabia que foi ela que fez isso tudo e ainda deixou ele em um estado terrível, atualmente somos melhores amigos e ele ficou até um pouco melhor ao saber que eu não fiquei indignado com ele nem nada, fiquei meio triste por causa do término dele com a namorada porque os se amavam muito mesmo.
Depois disso aprendi que realmente as aparências enganam muito, o pior é que um tempo depois eu encontrei com ela em uma festa de uma amiga minha e ela disse que "gostava" de mim naquela época, mas aparentemente era só mais uma de suas mentiras.
Hoje em dia estou muito melhor, estou do lado daqueles que realmente me amam e que nunca me abandonaram quando eu mais precisava deles e principalmente os que sempre quiseram o bem para mim.
submitted by RaFlamenguista to desabafos [link] [comments]


2020.01.14 21:18 trebien777 "Antes da Tempestade" FanFic (pt-br)

(Portuguese version from "before the storm"
Anos atrás, em um vasto pedaço de terra banhado pelas ondas do mar, afligido por uma forte nevasca ao norte e poderosas tempestades de areia ao sul…
Andem logo, seus vermes! E aproveitem seu último dia… pois amanhã vocês serão um belo exemplo para todo o novo reino que estaremos criando!
Um cavaleiro com pesadas armaduras negras e vermelhas, segurando uma alabarda escoltava três prisioneiros vestidos com roupas sujas e rasgadas, acorrentados por pesadas algemas de ferro nas mãos e nos pés. Junto a ele, outros cinco cavaleiros impediam-nos de fugir - ou de qualquer pessoa chegar perto.
Eu não pretendo ver esse seu novo reino. Tellor, seu maldito rato!
Uma prisioneira, chamada Rose, cuspiu na armadura vermelha reluzente. Ela possuía longos e encaracolados cabelos negros. Andava um pouco torta e estava extremamente magra, devido aos vários dias de confinamento na prisão.
Os outros dois prisioneiros olharam calados e de cabeça baixa, já cansados e enfraquecidos pela falta de comida e sono - além de uma certa tortura - na qual foram submetidos nos últimos dias.
Tellor limpou o cuspe de sua reluzente armadura, enquanto os três prisioneiros passavam pela cidade. Mas não era uma volta qualquer. Eles não estavam sendo apenas transportados. Estavam sendo exibidos… como um troféu.
Atrás deles, uma grande multidão os observava. Homens, mulheres, crianças e idosos. Alguns os olhavam com pena, outros com tristeza. Muitos nem tinham coragem sequer de olhá-los nos olhos e permaneceram de cabeça baixa.
Mas a multidão não era composta apenas de aldeões. Muitos soldados estavam segurando alabardas no meio da multidão de aldeões desarmados.
Um dos prisioneiros, chamado Hugo, falou. Estava um tanto mais magro, mas ainda conservava boa parte de sua musculatura - apesar da idade e da privação de alimentos advindos do cárcere.
Alguns aldeões tentaram chamá-los de traidores, mas eles não conseguiam. Abriam suas bocas, mas não conseguiam xingá-los. Não depois de tudo o que eles haviam feito pelo reino. E mesmo com os soldados olhando feio para eles…
Isto porém, irritou profundamente Tellor, que parecia estar perdendo a compostura e dava claros sinais de que daria ordens aos seus soldados muito em breve.
Os prisioneiros perceberam isso, e era hora de interferir. Ou haveria um banho de sangue em meio à praça pública. E desde a queda do antigo rei, não havia mais misericórdia, seja para mulheres, idosos ou crianças.
O terceiro prisioneiro, chamado Resskaell, se moveu os poucos centímetros que pôde e gritou o quão alto ainda tinha forças para fazê-lo. Ele era alto e forte, com cicatrizes no rosto e espalhadas pela sua densa musculatura - esta ainda coberta por sangue fresco, devida à sua última sessão de tortura.
Inspirados pelas suas palavras, a multidão começou a xingá-los - enquanto lágrimas escorriam de suas faces. E muitos não tinham força sequer para olhar para eles - ou mesmo ficar em pé…
Tellor ficou extremamente contrariado dos gritos ofensivos dos aldeões serem tão fracos… e estarem misturados a choro, lágrimas e ranger de dentes. Mas decidiu apenas devolver os prisioneiros à prisão. Afinal, o grande dia deles seria apenas amanhã…
Saindo da praça pública, com diversas casas de modesta arquitetura, eles se dirigiram à prisão.
Úmida, fétida e bastante ampla. Mas praticamente vazia. Os outros presos haviam sido executados nos dias anteriores - e eles seriam os últimos. O prato principal entre todos os desafetos do novo governante.
Os cavaleiros jogaram os três em uma longa e espaçosa cela, visto que todas as outras estavam imundas e já habitadas por ratos e baratas, isso sem contar o sangue. E como eles estavam algemados, suas vidas deveriam ser preservadas - ao menos até o dia de amanhã.
Os guardas trancaram a cela na qual se encontraram, e além desta outra grande e maciça porta de ferro sólido, que ligava ao andar superior - e a única saída.
Havia também uma pequena janela que ligava á superfície pela qual passava a luz do sol… mas esta era um pouco mais alta, e era impossível qualquer pessoa passar por ela. Acima dela, quatro guardas bem armados faziam a vigília, e a única coisa que se podia ver do lado interno era uma árvore de tamanho colossal. O resto da cela era feita de rocha pura.
Os guardas trancaram a cela e a porta de ferro, enquanto os três foram deixados a sós - após muitos dias de cárcere.
O sol rapidamente se pôs, enquanto a fraqueza foi batendo o corpo cansado dos três. Mesmo no chão de pedra úmido e frio, os três adormeceram.
Durante a madrugada, enquanto ainda dormiam, sangue escorreu pela parede. De maneira rápida e silenciosa, os quatro guardas que faziam ronda frente à pequena janela foram mortos. Uma pessoa em um manto marrom, com o rosto coberto e uma lâmina ensanguentada, empurrou o corpo caído de um dos guardas e liberou a janela da cela. E ela tinha algo em suas mãos.
Resskaell rapidamente despertou de seu sono, após uma gema ser atirada em sua cabeça.
Um pouco de luz da lua iluminava a cela. Ao acordarem, eles se depararam com chaves para as algemas em seus braços e pernas, além de uma gema vermelha e dois papéis enrolados.
Um deles foi dado à Rose, que prontamente entendeu a mensagem após eles se livrarem das algemas.
Resskaell procurou no chão, e encontrou o lugar sinalizado por Rose.
Ela segurou a gema em uma das mãos, e na outra segurou a raiz da árvore. Rose sussurrou diversas palavras, e enquanto concentrava sua mana, a rocha do chão e das paredes da prisão tomaram a forma de um golem.
Não foi o processo mais rápido, nem o mais silencioso. Mas agora já não havia nenhuma parede os prendendo. E ao terminar, o golem ganhou braços e pernas, além de ganhar uma vida temporariamente. Do outro lado, porém, a grande e majestosa árvore estava completamente seca. Toda sua energia vital havia sido drenada para o golem.
submitted by trebien777 to pathofexile [link] [comments]


2019.12.10 19:19 JairBolsogato Como a China está retornando à decadência do comunismo hard core

A China é um país que polariza a opinião das pessoas, incluindo a minha. Eu serei o primeiro a corrigir algo que seja injustamente criticado no país e o primeiro a apontar visões excessivamente otimistas do futuro da China que estão completamente erradas.
Os anos dourados acabaram e eu vejo um país em que as políticas mais pesadas estão começando a romper o tecido social.
A primeira coisa que a China fez corretamente foi o crescimento e desenvolvimento. Tenho que admitir quando deixava a China para visitar minha cidade natal uma vez a cada dois anos, entre 2008 e 2012, era vergonhoso ver que não apenas nada mudou em minha cidade natal, mas as poucas empresas e atrações que estavam conseguindo se manter à tona estavam fechando.
O centro da cidade, que antes era aceitável, estava agora com um comércio reduzido. Pessoas destituídas estavam saindo em massa em busca de melhores empregos e realmente parece que a administração e as políticas econômicas falharam totalmente.
Isso se deu não apenas em pequenas cidades mas também na capital. Senti como se aquele lugar estivesse preso em algum ponto dos anos 70 em termos de tecnologia e situação dos trabalhadores. Não era nem a sujeira, mas tudo parecia velho.
Ao voar de volta à China, olhava pela janela do avião e via os magníficos edifícios brotando do chão como brotos de bambu após uma boa tempestade de chuva. Saía do avião e pegava um ônibus direto que custa apenas US $ 7 para minha pequena cidade de três milhões de pessoas em questão de minutos. O ônibus sai a cada 15 minutos, mas se eu quisesse ir mais rápido ainda, poderia pegar o trem de alta velocidade.
Sim, mesmo minha pequena cidade sem nome tinha uma linha ferroviária de alta velocidade, uma das cidades menos importantes da província!
Além disso, já em 2013 eu conseguia pagar por tudo usando o meu celular. A qualquer momento da madrugada, eu podia encomendar comida e bebida e recebia a encomenda na porta.
Podia descer as escadas a qualquer hora da noite e sentar na calçada e comer e beber à vontade, fazer amizade com os habitantes mais curiosos e gastando pouco ou nada. Por volta de $5 comprava algumas cervejas e churrascos. As conveniências na China são enormes.
Na China me sentia relaxado: as regras eram mais uma sugestão do que qualquer outra coisa. Eu obtinha minha renda em dinheiro ou era pago pelo WeChat dando aulas de inglês. Com 20 e poucos anos de idade, a propaganda boca-a-boca bastava para eu ter uma renda boa e muito tempo livre pra curtir, conhecer gente e seguir hobbies, como o motociclismo.
Isso tudo eu comparava à perspectiva de crescimento profissional lento como administrador de rede na minha terra natal e achava horrível.
Eu consegui subir financeira e socialmente e eu realmente senti que aquilo lá era meu lugar.
Casei-me. Tive meu primeiro filho e, embora as responsabilidades como pai tenham assumido o controle, eu ainda podia ir pro meu terraço à noite com meus amigos tomar uma cerveja e ver a cidade ao meu redor crescer. O desenvolvimento parecia que nunca ia parar.
Eu até me expandi e comecei a fazer vídeos em tempo integral, com a liberdade de sair em expedições de um mês e filmar documentários na TV com pouco ou nenhum regulamento para onde eu poderia ir ou o que eu podia fazer. Eu falo chinês fluentemente e finalmente consegui seguir meus sonhos, andando de moto e filmando conteúdo incrível com meus melhores amigos.
Mas as coisas mudaram.
Foi bastante drástico: as passagens de trem e ônibus que eu mencionei agora precisam de uma identificação chinesa para comprá-las - algo que eu nunca teria, pois estrangeiro não pode se tornar cidadão da China. Nem mesmo receber um green card, e isso significa depender da ajuda da minha esposa comprando qualquer coisa relacionada ao transporte.
Agora é ilegal colocar uma bandeira americana ao lado da chinesa na entrada do meu centro de treinamento de inglês, mesmo que isso simbolize cooperação.
As visitas da polícia se tornaram algo regular na minha vida e de meus amigos e familiares. O governo agora diz que estamos sendo monitorados e seguidos constantemente e que eu devo ter cuidado ao postar qualquer coisa online ou ter cuidado com quem eu estou associado. Todo o meu conteúdo online sempre foi bastante positivo mas agora sites não chineses estão bloqueados. Minha pequena janela para o mundo exterior foi fechada.
Meu negócio de motocicletas com meu melhor amigo foi fechado quando o governo decidiu que queria usar o terreno para construir mais prédios fantasmas para investidores imobiliários insaciáveis. Ninguém foi consultado para saber se isso era bom.
Houve um grande aumento de sequestros no parquinho do bairro. Tendo uma criança em casa, a idéia de que eu poderia perder minha filha para traficantes de seres humanos me faz perder o sono à noite.
Um quebra-quebra perto de um hospital levou ao assassinato de inúmeras enfermeiras. Agora é difícil frequentar os churrascos devido à violência nas ruas, geralmente por causa dos bêbados.
Agora, a polícia me ameaçou arbitrariamente com prisão por eu ter pilotado um drone por cima do prédio onde moro. Eles disseram que havia uma base militar que era visível nas filmagens, só que outras filmagens do mesmo local foram postadas nos sites de vídeo chineses por chineses sem nenhuma aplicação arbitrária da lei.
Quando líderes aleatórios do governo chegam à cidade, vendedores de rua são enxotados e todos os seus os bens confiscados. Todas as opções que tenho para restaurantes em minha rua fecharam e reabriram com alimentos de qualidade cada vez pior.
Tenho ficado mais doente do que antes com a crescente prevalência de óleo de procedência duvidosa sendo usado na culinária e na cozinha. Álcool falso é vendido até em grandes redes de supermercados. Não dá mais para comer ou beber qualquer coisa fora.
Os prédios que gostava de ver começaram a mostrar sinais de abandono e aqueles "brotos de bambu" brotando em volta de mim a um ritmo alucinante acabaram se transformando em estruturas ocas e apartamentos vazios, alguns deles quase desabando após três anos.
Devido aos conselhos de minha família e amigos chineses, comprei meu próprio apartamento para minha família, mas o elevador desabou duas vezes neste edifício novinho - tinha literalmente acabado de ser construído. Rachaduras maciças se formaram nos pisos e nas paredes.
A China também decidiu banir aleatoriamente as motocicletas. Todos os dias eu planejava uma rota calculada para evitar barricadas policiais, onde eles pegavam suas chaves e tomavam sua motocleta indiscriminadamente. Isso causou uma explosão insana no tráfego de carros e tornou frustrante dirigir para qualquer lugar.
Quando fiz um documentário no norte da China, focado em mostrar as aventuras positivas que a China tinha para oferecer, fomos revistados e detidos pela equipe da SWAT deles e pelo Exército Popular de Libertação, aparentemente porque eles não queriam que mostrássemos imagens de camelos.
Nós fomos assediados e intimidados em algumas cidades e nem pudemos nos hospedar em alguns hotéis. Percebemos rapidamente que a atmosfera em relação aos estrangeiros havia mudado pela primeira vez.
Eu fui abordado quase semanalmente por moradores que estavam lendo muitas notícias sobre como os problemas da China são agora culpa dos estrangeiros: "vocês estão roubando nossas mulheres chinesas", "vai para casa estrangeiro", "eu não gosto de americanos". Membros da família que antes gostavam de mim começaram a me culpar por decisões políticas no exterior que consideravam má influência ocidental. A minha fluência em chinês passou de um trunfo importante para uma triste constatação de que as opiniões das pessoas sobre o mundo exterior estavam azedando.
Os estrangeiros estão agora encurralados em um sistema de classe A, B ou C determinado por padrões arbitrários e que ditam o que podemos ou não fazer pelo crédito social. Está sendo implementado um sistema que monitora sua atividade, o que você faz ou diz sobre o governo e praticamente todas as suas ações.
Faixas elogiando a liderança atual assim como toneladas de insígnias comunistas começaram a aparecer em todos os cantos do país. Agora podem ser encontradas câmeras em todos os semáforos e esquinas.
Com todos esses novos regulamentos, o cerco apertando, o aumento da xenofobia - até o crescimento parece estar mudando - transformaram-se de um inconveniente tolerável para um pesadelo burocrático confuso.
Você vê que a China sempre prosperou quando grandes áreas da vida não eram controladas. O capitalismo cobrou seu preço de muitas maneiras, mas a vida estava melhorando e eu até me sentia mais livre do que no Ocidente em muitos aspectos (embora não no político ou na liberdade de expressão).
Agora as igrejas estão sendo desmanteladas. Milhões de minorias étnicas estão sendo colocadas em campos de concentração e informadas de que precisam ser reeducadas. Famílias sendo separadas e destruídas.Opiniões estrangeiras de entretenimento foram bloqueadas. e/ou esmagadas. Oprimem até sociedades livres como você vê em Hong Kong, com militarismo ostensivo, ameaças de prisão e muita propaganda governamental enganosa.
Os projetos governamentais como a iniciativa "Belt and Road" criaram uma população que não se atreve a falar e desiste da pouca liberdade de dizer o que queriam e que eles tinham no início.
A China se tornou efetivamente um estado policial distópico. As pessoas que eu conheci e que estavam ascendendo socialmente foram profundamente afetadas quando regime de partido único se apegou ao status quo quando o castelo de cartas começou a ruir com a desaceleração econômica e outras mudanças no mundo ao redor.
A abertura para o diálogo com outras pessoas de outros países foi efetivamente encerrada. Eles criaram um exército de trolls na Internet para exercer influência e tentar provar ao mundo que não apenas somos nós contra eles, mas que sistema deles é o melhor.
Também sinto um pouco de culpa porque nos últimos 10 anos eu mudei, e talvez agora tenha me tornado mais amargo. Mas quando olho para a minha experiência, as pessoas que eu conheci e amei, as coisas ao redor, o lugar em que comprei uma casa e fundei uma família e vendo que tudo ao redor está mudando para pior, tudo ao redor está sendo cercado e apertado, e a liberdade de expressão e idéias das pessoas que uma vez floresceram nos primeiros anos em que me mudei para a China agora têm sido esmagados, percebo que nos últimos 10 anos eu comecei a entender realmente como as coisas estão funcionando e não apenas como as coisas estão potencialmente indo.
Hoje a idéia de eu voltar para casa na minha pequena cidade natal é o que mais faz sentido e me faz sentir muito bem.
http://www.youtube.com/laowhy86
submitted by JairBolsogato to brasil [link] [comments]


2019.12.08 05:44 JairBolsogato Como a China está retornando à decadência do comunismo hard core

A China é um país que polariza a opinião das pessoas, incluindo a minha. Eu serei o primeiro a corrigir algo que seja injustamente criticado no país e o primeiro a apontar visões excessivamente otimistas do futuro da China que estão completamente erradas.
Os anos dourados acabaram e eu vejo um país em que as políticas mais pesadas estão começando a romper o tecido social.
A primeira coisa que a China fez corretamente foi o crescimento e desenvolvimento. Tenho que admitir quando deixava a China para visitar minha cidade natal uma vez a cada dois anos, entre 2008 e 2012, era vergonhoso ver que não apenas nada mudou em minha cidade natal, mas as poucas empresas e atrações que estavam conseguindo se manter à tona estavam fechando.
O centro da cidade, que antes era aceitável, estava agora com um comércio reduzido. Pessoas destituídas estavam saindo em massa em busca de melhores empregos e realmente parece que a administração e as políticas econômicas falharam totalmente.
Isso se deu não apenas em pequenas cidades mas também na capital. Senti como se aquele lugar estivesse preso em algum ponto dos anos 70 em termos de tecnologia e situação dos trabalhadores. Não era nem a sujeira, mas tudo parecia velho.
Ao voar de volta à China, olhava pela janela do avião e via os magníficos edifícios brotando do chão como brotos de bambu após uma boa tempestade de chuva. Saía do avião e pegava um ônibus direto que custa apenas US $ 7 para minha pequena cidade de três milhões de pessoas em questão de minutos. O ônibus sai a cada 15 minutos, mas se eu quisesse ir mais rápido ainda, poderia pegar o trem de alta velocidade.
Sim, mesmo minha pequena cidade sem nome tinha uma linha ferroviária de alta velocidade, uma das cidades menos importantes da província!
Além disso, já em 2013 eu conseguia pagar por tudo usando o meu celular. A qualquer momento da madrugada, eu podia encomendar comida e bebida e recebia a encomenda na porta.
Podia descer as escadas a qualquer hora da noite e sentar na calçada e comer e beber à vontade, fazer amizade com os habitantes mais curiosos e gastando pouco ou nada. Por volta de $5 comprava algumas cervejas e churrascos. As conveniências na China são enormes.
Na China me sentia relaxado: as regras eram mais uma sugestão do que qualquer outra coisa. Eu obtinha minha renda em dinheiro ou era pago pelo WeChat dando aulas de inglês. Com 20 e poucos anos de idade, a propaganda boca-a-boca bastava para eu ter uma renda boa e muito tempo livre pra curtir, conhecer gente e seguir hobbies, como o motociclismo.
Isso tudo eu comparava à perspectiva de crescimento profissional lento como administrador de rede na minha terra natal e achava horrível.
Eu consegui subir financeira e socialmente e eu realmente senti que aquilo lá era meu lugar.
Casei-me. Tive meu primeiro filho e, embora as responsabilidades como pai tenham assumido o controle, eu ainda podia ir pro meu terraço à noite com meus amigos tomar uma cerveja e ver a cidade ao meu redor crescer. O desenvolvimento parecia que nunca ia parar.
Eu até me expandi e comecei a fazer vídeos em tempo integral, com a liberdade de sair em expedições de um mês e filmar documentários na TV com pouco ou nenhum regulamento para onde eu poderia ir ou o que eu podia fazer. Eu falo chinês fluentemente e finalmente consegui seguir meus sonhos, andando de moto e filmando conteúdo incrível com meus melhores amigos.
Mas as coisas mudaram.
Foi bastante drástico: as passagens de trem e ônibus que eu mencionei agora precisam de uma identificação chinesa para comprá-las - algo que eu nunca teria, pois estrangeiro não pode se tornar cidadão da China. Nem mesmo receber um green card, e isso significa depender da ajuda da minha esposa comprando qualquer coisa relacionada ao transporte.
Agora é ilegal colocar uma bandeira americana ao lado da chinesa na entrada do meu centro de treinamento de inglês, mesmo que isso simbolize cooperação.
As visitas da polícia se tornaram algo regular na minha vida e de meus amigos e familiares. O governo agora diz que estamos sendo monitorados e seguidos constantemente e que eu devo ter cuidado ao postar qualquer coisa online ou ter cuidado com quem eu estou associado. Todo o meu conteúdo online sempre foi bastante positivo mas agora sites não chineses estão bloqueados. Minha pequena janela para o mundo exterior foi fechada.
Meu negócio de motocicletas com meu melhor amigo foi fechado quando o governo decidiu que queria usar o terreno para construir mais prédios fantasmas para investidores imobiliários insaciáveis. Ninguém foi consultado para saber se isso era bom.
Houve um grande aumento de sequestros no parquinho do bairro. Tendo uma criança em casa, a idéia de que eu poderia perder minha filha para traficantes de seres humanos me faz perder o sono à noite.
Um quebra-quebra perto de um hospital levou ao assassinato de inúmeras enfermeiras. Agora é difícil frequentar os churrascos devido à violência nas ruas, geralmente por causa dos bêbados.
Agora, a polícia me ameaçou arbitrariamente com prisão por eu ter pilotado um drone por cima do prédio onde moro. Eles disseram que havia uma base militar que era visível nas filmagens, só que outras filmagens do mesmo local foram postadas nos sites de vídeo chineses por chineses sem nenhuma aplicação arbitrária da lei.
Quando líderes aleatórios do governo chegam à cidade, vendedores de rua são enxotados e todos os seus os bens confiscados. Todas as opções que tenho para restaurantes em minha rua fecharam e reabriram com alimentos de qualidade cada vez pior.
Tenho ficado mais doente do que antes com a crescente prevalência de óleo de procedência duvidosa sendo usado na culinária e na cozinha. Álcool falso é vendido até em grandes redes de supermercados. Não dá mais para comer ou beber qualquer coisa fora.
Os prédios que gostava de ver começaram a mostrar sinais de abandono e aqueles "brotos de bambu" brotando em volta de mim a um ritmo alucinante acabaram se transformando em estruturas ocas e apartamentos vazios, alguns deles quase desabando após três anos.
Devido aos conselhos de minha família e amigos chineses, comprei meu próprio apartamento para minha família, mas o elevador desabou duas vezes neste edifício novinho - tinha literalmente acabado de ser construído. Rachaduras maciças se formaram nos pisos e nas paredes.
A China também decidiu banir aleatoriamente as motocicletas. Todos os dias eu planejava uma rota calculada para evitar barricadas policiais, onde eles pegavam suas chaves e tomavam sua motocleta indiscriminadamente. Isso causou uma explosão insana no tráfego de carros e tornou frustrante dirigir para qualquer lugar.
Quando fiz um documentário no norte da China, focado em mostrar as aventuras positivas que a China tinha para oferecer, fomos revistados e detidos pela equipe da SWAT deles e pelo Exército Popular de Libertação, aparentemente porque eles não queriam que mostrássemos imagens de camelos.
Nós fomos assediados e intimidados em algumas cidades e nem pudemos nos hospedar em alguns hotéis. Percebemos rapidamente que a atmosfera em relação aos estrangeiros havia mudado pela primeira vez.
Eu fui abordado quase semanalmente por moradores que estavam lendo muitas notícias sobre como os problemas da China são agora culpa dos estrangeiros: "vocês estão roubando nossas mulheres chinesas", "vai para casa estrangeiro", "eu não gosto de americanos". Membros da família que antes gostavam de mim começaram a me culpar por decisões políticas no exterior que consideravam má influência ocidental. A minha fluência em chinês passou de um trunfo importante para uma triste constatação de que as opiniões das pessoas sobre o mundo exterior estavam azedando.
Os estrangeiros estão agora encurralados em um sistema de classe A, B ou C determinado por padrões arbitrários e que ditam o que podemos ou não fazer pelo crédito social. Está sendo implementado um sistema que monitora sua atividade, o que você faz ou diz sobre o governo e praticamente todas as suas ações.
Faixas elogiando a liderança atual assim como toneladas de insígnias comunistas começaram a aparecer em todos os cantos do país. Agora podem ser encontradas câmeras em todos os semáforos e esquinas.
Com todos esses novos regulamentos, o cerco apertando, o aumento da xenofobia - até o crescimento parece estar mudando - transformaram-se de um inconveniente tolerável para um pesadelo burocrático confuso.
Você vê que a China sempre prosperou quando grandes áreas da vida não eram controladas. O capitalismo cobrou seu preço de muitas maneiras, mas a vida estava melhorando e eu até me sentia mais livre do que no Ocidente em muitos aspectos (embora não no político ou na liberdade de expressão).
Agora as igrejas estão sendo desmanteladas. Milhões de minorias étnicas estão sendo colocadas em campos de concentração e informadas de que precisam ser reeducadas. Famílias sendo separadas e destruídas. Opiniões estrangeiras de entretenimento foram bloqueadas. e/ou esmagadas. Oprimem até sociedades livres como você vê em Hong Kong, com militarismo ostensivo, ameaças de prisão e muita propaganda governamental enganosa.
Os projetos governamentais como a iniciativa "Belt and Road" criaram uma população que não se atreve a falar e desiste da pouca liberdade de dizer o que queriam e que eles tinham no início.
A China se tornou efetivamente um estado policial distópico. As pessoas que eu conheci e que estavam ascendendo socialmente foram profundamente afetadas quando regime de partido único se apegou ao status quo quando o castelo de cartas começou a ruir com a desaceleração econômica e outras mudanças no mundo ao redor.
A abertura para o diálogo com outras pessoas de outros países foi efetivamente encerrada. Eles criaram um exército de trolls na Internet para exercer influência e tentar provar ao mundo que não apenas somos nós contra eles, mas que sistema deles é o melhor.
Também sinto um pouco de culpa porque nos últimos 10 anos eu mudei, e talvez agora tenha me tornado mais amargo. Mas quando olho para a minha experiência, as pessoas que eu conheci e amei, as coisas ao redor, o lugar em que comprei uma casa e fundei uma família e vendo que tudo ao redor está mudando para pior, tudo ao redor está sendo cercado e apertado, e a liberdade de expressão e idéias das pessoas que uma vez floresceram nos primeiros anos em que me mudei para a China agora têm sido esmagados, percebo que nos últimos 10 anos eu comecei a entender realmente como as coisas estão funcionando e não apenas como as coisas estão potencialmente indo.
Hoje a idéia de eu voltar para casa na minha pequena cidade natal é o que mais faz sentido e me faz sentir muito bem.
http://www.youtube.com/laowhy86
submitted by JairBolsogato to brasilivre [link] [comments]


2019.11.07 03:25 Mustafasustenido Completei 30 anos, virei mago e isso me abalou profundamente

Caros colegas redditors.
Buscarei a melhor forma de contar essa história aqui e farei um TL;DR no fim, mas tentarei não deixá-la massiva.
Então... venho de uma família classe média alta onde o que mais tive foi amor e carinho.
Em minha adolescência viajei bastante pelo mundo com minha família, estudei em uma escola excelente, fiz muitos amigos (alguns hoje são meus irmãos de vida) e posso dizer que foi o melhor período de minha vida.
Porém nunca consegui me relacionar com nenhuma mulher. Terminei o ensino médio sem nunca ter dado um beijo. Só tendo encostado na mão de uma menina 1x e passando por dezenas de rejeições (perdi as contas da quantidade de vezes que me apaixonei e não fui correspondido).
Sei que isso, em partes, se explica pelo fato de eu ter sido o ser humano mais magro (com saúde) que já conheci. Sem entrar em muitos detalhes meu IMC era por volta 13, eu era literalmente só o osso. Mais de 1,80m e menos de 50 kg (muito tempo depois descobri que é simplesmente a genética, mesmo malhando existe uma barreira pra meu peso e cada segundo de sedentarismo me faz emagrecer), exames perfeitos. No fim da adolescência entrei pra academia e consegui um corpo magro normal, porém o estrago na minha autoestima já estava feito (apesar de eu ter convicção que a qualquer momento, naturalmente, as coisas aconteceriam e eu acharia alguma menina pra me relacionar).
Passei em uma das melhores faculdades do país, no curso que eu queria, saí de casa pra morar sozinho e estudar, tinha tudo pra minha vida continuar as mil maravilhas, mas encontrei meu primeiro problema. O local de estudo só tinha homens e, como eu não era muito de sair, me bateu um grande desespero de continuar BV por muito tempo, já que não teria contato com mulheres... Enfim, uma depressão apareceu e fiquei quase 2 anos praticamente na rotina casa-faculdade-casa (além de minha família ter colocado quase uma babá em minha casa, pra que eu pudesse ficar mais relaxado). Foi com sobras o pior período de minha vida, em momentos de crise não conseguia comer praticamente nada, em momentos normais eu tinha que empurrar cada refeição. Voltei pra um estado de muita magreza (IMC 14,5), parei de fazer atividades físicas... minha família percebia pouco porque, além da distância, meu desempenho continuou excelente. Meus amigos de infância estavam em outras cidades e meus amigos da faculdade não pareciam notar nada (até porque já me conheceram nesse estado).
Consegui começar a superar essa situação depois de um grave problema de saúde na família. Entendi que nada do que eu sentia se justificava com tanto sofrimento que eu estava vendo daquele ente querido próximo a partir. Tanto que, depois da sua morte meus pensamentos voltaram a funcionar quase que normalmente (algumas recaídas de vez em quando) e voltei a ter aquela certeza adolescente que a qualquer momento naturalmente eu ia encontrar uma parceira.
Resumindo bastante, terminei a faculdade e comecei a trabalhar numa das maiores empresas do país, em uma cidade média do Brasil. Em pouco tempo eu assumi uma função de gestão e hoje estou quase no topo da carreira. Além disso dou palestras periodicamente para centenas de pessoas e ministro um curso noturno na área em que sou referência. Minha remuneração é o equivalente a 1 carro popular a cada 2 meses.
Ah... não possuo redes sociais
O que vou falar agora pode ficar parecendo querer me "gabar", mas é só pra enaltecer a gravidade da situação e o quanto tudo pesa em mim.
Meu modelo de gestão virou referência na empresa (e no mercado em geral), por criar uma equipe "família" (tenho muita facilidade em analisar perfis de pessoas e criar ambientes de trabalho que funcionam de maneira leve), os funcionários da empresa simplesmente me vangloriam pela forma como eu levo as coisas e resolvo as situações. Um dia desses um antigo auxiliar de serviços gerais (o qual sempre incentivei [verbalmente e financeiramente] a terminar o curso que estava fazendo) que conseguiu vaga de assistente administrativo em outra empresa veio pessoalmente me agradecer (até uma lembrança me deu, que guardo com bastante carinho) por conta dos ensinamentos que passei pra ele, que, segundo o mesmo, "foram de grande importância para o crescimento na carreira dele".
Dou palestra pra centenas de pessoas por mês, pra falar sobre a área que domino e está em ascensão em todo o mundo. As palestras tem sido um sucesso, e a plateia aumenta a cada ciclo. Sempre tive muita facilidade pra falar (e prender a atenção das pessoas) em público.
Minhas aulas noturnas também correm de maneira bastante positiva. Sempre tive prazer em ensinar e ver o aprendizado de cada estudante (principalmente os que mais tem dificuldades) me dá uma sensação de dever cumprido muito grande.
Além disso tudo sou multi-instrumentista. A música é parte de mim e sempre quis compartilhar com o máximo de pessoas possível. Dessa forma, sou um dos fundadores (e professor) de um projeto comunitário com objetivo de transformar a vida das pessoas de uma maneira efetiva.
Dito isso, volto pra o ponto do desabafo do tópico.
Completei 30 anos, sou BV e, obviamente, virgem e isso vem me destruindo a cada dia que passa. Todas as pessoas próximas a mim já tem família, ou pelo menos namoradas sérias/noivas e eu mal encostei na mão de uma mulher.
Analisando friamente (uma das minhas maiores virtudes são as autocríticas) sou um homem nota 7 de rosto (sei que nos achamos mais bonito do que o que somos, mas já descontei uns pontos, risos) e 3 de corpo. (recentemente estava melhor de corpo mas ansiedade que venho sentindo nos últimos meses vem me corroendo, e tenho total consciência que não posso por a desculpa dos meus insucessos integralmente no meu corpo)
Ninguém sabe que sou BV e meus dois amigos mais próximos sabem que sou virgem.
Mensalmente recebo a sugestão de procurar uma prostituta, mas meu EU me diz que isso seria a maior prova que sou incapaz de conseguir um primeiro beijo com uma moça que gostasse de mim de verdade (e nem sei se é recomendado beijar prostitutas, risos).
Meus amigos já tentaram me "armar" com conhecidas em festas, mas nas duas vezes que isso aconteceu notei que as moças não queriam e nem tentei forçar a barra. Acabei saindo das situações muito pior do que antes, sentindo a rejeição na pele mais uma vez. Sabe aquela facilidade pra falar em público? Isso desaparece integralmente em contatos sociais diretos com muitas pessoas do sexo feminino (principalmente em festas, que nunca gostei e hoje em dia mal vou, a não ser as do trabalho ou quando faço parte da banda). Na verdade ir em festas no geral me cansa MUITO, vou uma vez por ano, depois de muita insistência dos amigos, porque sei que vou ficar lá 5-6h com cara de paisagem, sem despertar o interesse de nenhuma mulher random por conta de não conseguir ter a mínima postura e não ter um corpo tão legal pra gerar interesse numa numa festa.
Tenho total convicção que, se eu fosse uma mulher, jamais pegaria um cara inibido como eu num ambiente de festa, eu simplesmente me reduzo a um pedacinho de nada, sei que isso é muito por conta da baixa autoestima devido ao meu corpo e às rejeições femininas que sofri na adolescência.
Minha rotina hoje em dia se resume basicamente a:
Trabalhar de segunda à sexta o dia todo (e noite), tento ler algo pra relaxar;
Sexta à noite (pelo menos a cada 15 dias) saio com meus amigos (e suas esposas) pra um barzinho;
Sábado trabalho mais um pouco, assisto futebol e vou dar aula de música para o pessoal no projeto;
Domingo passo o dia feliz com minha família, à noite vou à missa pra relaxar um pouco o espírito e me preparar para a semana.
Sinto um pouco de tristeza principalmente ao escrever que passo o "domingo feliz" com minha família, com um toque de desdém. Porque realmente tinha tudo pra ser algo perfeito, mas meu EU interno já passa cada minuto, em cada uma dessas atividades, pensando no quanto de vida eu perdi por chegar aos 30 anos sem ter me relacionado com uma mulher e saber que esse tempo não volta atrás nunca.
Saber que jamais vou ter uma namoradinha aos 15 anos, conhecer aos poucos e sem maiores pressões como um relacionamento funciona. Ir de mãos dadas ao shopping, assistir um filme, trocar palavras, olhares... Cada vez que penso nisso parece que uma parte de mim fica pra trás, não consigo exprimir com palavras o vazio que isso me faz sentir.
O estopim para que eu resolvesse desabafar e (com fé em Deus) procurar ajuda profissional foi o seguinte:
A empresa é composta majoritariamente por homens e mulheres de mais idade, mas possui algumas estagiárias e o pessoal sempre me fala na resenha (não sei até que ponto é resenha [na verdade eu sei que não é resenha]) que elas fazem de tudo pra se envolverem comigo (lembra aquela história de que sou bom pra traçar perfis de pessoas e montar equipes? Pois é, quando o assunto é relacionamento com mulheres eu não sei interpretar os sinais mais básicos). Obviamente eu jamais me envolveria com uma estagiária (até mesmo uma ex-estagiária), por razões profissionais, mas já recebi muitos "convites" via Whatsapp, que acabo levando na brincadeira pra não queimar minha reputação.
Enfim, recentemente chegou o ponto que resolvi que meu psicológico era mais importante do que meu medo de "me queimar" e comecei a conversar com uma estagiária (10 anos mais nova e de família humilde[claro que não ligo pra isso, só estou dizendo aqui pra que você me ajudem a interpretar a situação depois]) que já estava terminando o contrato e ia ser efetivada em outra cidade. A iniciativa foi minha (e isso me fez ter ainda mais vontade de que desse certo), mas, mesmo sendo um poste, eu sempre notei a forma que ela me olhava, sorria e nas conversas que tivemos nossas ideias se batiam muito, além de ela me atrair fisicamente e ser bastante inteligente.
Começamos a conversar diariamente via Whatsapp (evitávamos contato pessoal por conta do ambiente da empresa). Pouco antes do contrato dela acabar surgiu o momento e falamos mutuamente do que sentíamos, dos problemas que isso podia trazer pra vida profissional, mas acabamos concordando que valeria a pena tentar algo. Um tempo depois resolvi chamá-la pra sair e ela aceitou, mas veio com uma conversa que não era pra eu criar expectativas e que ela "não era fácil" (com outras palavras mas em resumo era isso). Confesso que achei meio estranho, há pouco tempo havíamos nos aberto um para o outro, mas não entendo nada de mulheres mesmo, então vamos seguir a história.
Tive o primeiro encontro da minha vida (sim, aos 30 anos, repito) levei ela pra jantar em um local que não fosse o mais caro da cidade (pensei que ela se sentiria mais confortável caso pudesse pagar o que havia consumido, se desejasse).
Saí de casa bastante nervoso, mas seguindo à risca tudo que os tutoriais on-line tinham me ensinado. Asseado, perfumado, bem vestido (como se eu já não vivesse assim...) e tentando o máximo possível ser simplesmente eu.
Chegamos ao local (um pouco preocupados que algum conhecido nos visse), mas a coisa fluiu tão naturalmente que, aos poucos o nervosismo foi passando. Aproveitamos o momento "livres" e conversamos sobre muita coisa ao longo de quase 3 horas (sem nenhuma forçação de barra, a coisa realmente acontecia de maneira espontânea), falamos um pouco sobre nossas vidas, nossos anseios, falamos mal das pessoas das mesas vizinhas... isso tudo com intensas trocas de olhares. Chegou um ponto que tomei coragem, segurei na mão dela e, pasmem, ela deixou. Fiquei ali de mãos dadas com ela (foi uma das melhores sensações que já tive na vida), trocando carícias e conversando por mais alguns minutos, quando decidi que era hora de sair e tentar algo.
Como já disse, antes do encontro eu estava muito nervoso, mas depois de todo aquele tempo com ela eu percebi que as coisas realmente iam acontecer de forma bastante natural.
Saí do restaurante abraçado com ela, fomos em direção ao carro (estava num local isolado), fiquei de frente com ela, falei 2 palavras e fui em direção ao meu primeiro beijo.
Ela simplesmente se virou e disse "na-não" (foi mais em forma de ruído de negação, mas achei melhor escrever assim), nesse momento não entendi mais nada (teria interpretado algum sinal de forma errada? Deveria insistir?).
Dei um abraço nela falei algumas palavras, tentei novamente e recebi mais uma rejeição.
Não soube o motivo (até agora não sei), mas preferi não insistir, demos um abraço demorado e levei ela pra casa, conversando sobre outras coisas.
Faz pouco tempo que isso aconteceu e ainda trocamos algumas palavras via Whatsapp. O que me deixa tranquilo é que eu pelo menos tirei a bunda da cadeira e tentei. Mas a frustração de mais uma rejeição é algo incomensurável pra mim. Não sei quando terei contato com outra mulher a esse ponto (estatisticamente eu tenho contato, com chances de dar algo, com uma mulher a cada 2 anos, e, é claro, nunca deu certo)
Com relação a esse encontro (eu queria até a opinião dos colegas redditores) eu trabalho com 3 hipóteses:
1 - Ela quer algo, mas não quis se mostrar fácil/interesseira (como as outras estagiárias que mandam mensagens diretas pra mim por Whatsapp) e está esperando outro convite meu para que possamos sair novamente e finalmente ocorra algo;
2 - Ela não quer mais nada por conta de uma das milhares de coisas que podem estar se passando na mente dela;
3 - Isso foi a prova de que meu corpo possui alguma substância não identificada, incolor, inodora e insípida, que cria uma barreira contra mulheres.
Não sei se vale a pena insistir, estou tão frustrado que não consigo ter forças pra um contato mais direto (apesar de sentir muita falta das conversas com ela);
Pra finalizar, meu desespero hoje é tão grande que penso até em fazer uma rede social (coisa que nunca tive) só pra me "amostrar" (algo que é totalmente contra meu perfil). Mostrar meus carros, minha casa na praia, minhas viagens semanais, meus momentos com os amigos, sei lá, qualquer coisa que pudesse gerar alguma curiosidade sobre mim para as mulheres.Mas aí me olho no espelho e percebo que quando chegar a esse ponto eu realmente não estarei mais sendo eu e algo de muito errado (além do que já está se passando) estará acontecendo.
TL;DR: Homem, 30 anos, família perfeita, muitos amigos (alguns verdadeiros irmãos), trabalho dos sonhos, ótima situação financeira, porém BV e virgem.
Fazendo um resumo desde a adolescência:
Comecei a aprender sobre música achando que com isso um relacionamento viria naturalmente (ao menos a música virou uma paixão real em minha vida);
Comecei a fazer academia achando que com isso um relacionamento viria naturalmente;
Comecei a cursar um dos cursos mais concorridos do Brasil achando que com isso um relacionamento viria naturalmente;
Comecei a trabalhar e hoje ganho mais do que 99% da população brasileira achando que com isso um relacionamento viria naturalmente;
E não veio. Hoje não sei mais o que buscar ou a quem recorrer... A ansiedade (ou seria depressão?) está chegando a tal ponto que me vejo totalmente refém de alguns pensamentos que me atrasam bastante. Eu não consigo, por exemplo, passar mais de 15 dias (ou ir pra um lugar distante) longe da minha família/amigos próximos. Começa a bater um desespero (tipo os que eu sentia na depressão quando tinha 20 anos) e começo a pensar que eu poderia estar ali com uma companheira, aproveitando cada segundo. Já desisti de diversas viagens para fora do Brasil por conta disso. Coisa que fazia naturalmente na adolescência.
Sinto que a cada dia a bolha vai aumentando, a ponto de começar a atrapalhar nos meus trabalhos e vida pessoal, viagens a trabalho para fora do estado estão se tornando um sofrimento (as consequências de todos meus medos recaem sobre meu sistema digestivo), acordo à noite desesperado com medo do dia de amanhã, comecei a procrastinar algumas coisas e perder o tesão em diversas situações de prazer do dia a dia (não consigo mais jogar videogame por achar que isso me torna ainda mais virgem e inútil. A própria masturbação se tornou um momento de tristeza. Tocar piano, violino, violão, etc sozinho muitas vezes só me traz dor).
Cada elogio que recebo na empresa, palestras, aulas, crianças no projeto de música, família, amigos, parece aumentar o vazio que sinto.
Gostaria de simplesmente arrumar uma companheira e viver a vida a dois, viajar, compartilhar momentos, beijar, quem sabe, caso a coisa desse certo, ter filhos, criar uma família...

De qualquer forma, me sinto um pouco mais leve por ter passado 2 horas escrevendo e tendo exprimido todos esses sentimentos pela primeira vez (pra o lado de fora de minha cabeça).
Estou pensando em procurar um psicólogo (creio que já devia ter feito isso desde a minha primeira depressão lá nos 20 anos). Como garantir que eu, sendo uma figura conhecida na cidade não terei todas as minhas histórias íntimas divulgadas (sei que psicólogo é uma profissão muito séria, peço até desculpas de antemão caso essa pergunta ofenda alguém, mas uma pessoa má intencionada poderia destruir toda minha reputação externalizando minha intimidade). Na verdade a pergunta é "como escolher um psicólogo?". Caso não dê certo é normal trocar de psicólogo?
Obrigado a todos pela atenção.
submitted by Mustafasustenido to desabafos [link] [comments]


2019.07.25 14:54 Heavy_Hammer Situações que te "forçam a ser paia"

Estou passando mais um daqueles episódios em que sou forçado a ser paia com uma pessoa pois ela não se dispôs a cumprir um combinado. Eu combinei com a pessoa de que ela poderia passar uma semana na minha casa durante suas férias, a semana está acabando e a pessoa não dá sinais de que vai sair e sequer olhou outros hoteis para viajar para outras cidades, etc. O voo de volta da pessoa para sua casa é dia 10 de agosto.

Amanhã irá fazer uma semana que a pessoa está na minha casa e se ela não sair, sábado vou "ter que ser paia" e pedir para ela sair, afinal preciso da minha rotina para escrever e ler.
Essas situações são muito ruins e se aplicam a vários exemplos no cotidiano: trabalhos de faculdade, quando alguém não faz a parte dela; no trabalho quando alguém não cumpre um combinado; na família; no churrasco com os amigos, etc. O pior de tudo é que você é forçado a ser paia e no fim você sai como o ruim da história. "Nossa o xxxx pediu para eu sair da casa dele, eu estava com dificuldades de planejar outra cidade, etc..."; "Nossa a xxxx achou ruim comigo com o trabalho da faculdade, porque eu não entreguei na data combinada pois eu tinha pilates durante a semana".
Claro que a gente não deve ligar para isso e as vezes somos mesms forçados a fazer isso... Só queria que as coisas fossem mais simples, combinado é combinado, se houve um problema no meio termo fale.
Obs: Nesse caso especificamente a pessoa não houve problemas para achar outros lugares ou voltar para casa, ela só está sendo folgada mesmo e aproveitando minha casa como uma pousada para fugir da rotina e dos problemas dela. Eu sei disso pq perguntei.
Abraços para quem é de abraços, e beijo para quem é de beijo.
submitted by Heavy_Hammer to desabafos [link] [comments]


2018.05.05 07:59 koyaanisqatsi_guy Me apaixonei por uma colega de trabalho... e mudou minha vida.

O título já diz tudo. Vou contar brevemente essa experiência, pois é algo que eu vou precisar de muita força de vontade para superar.
Isso aconteceu um ano atrás...
Eu trabalho no mercado de comunicação, a rotatividade de pessoas entre empresas é muito grande, em um ano que consegui diversas entrevistas acabei passando por 3 empresas grandes, e na última delas eu conheci essa garota.
Foi por indicação de um amigo que eu fiz entrevista nesse lugar. E ele trabalhava com ela, não diretamente, mas no mesmo setor. Eu demorei um tempo pra notar que ela era diferente, a primeira vista foi só mais uma garota de 28 anos, linda e meio nerd. Porém, eu estava em uma fase de focar apenas no trabalho, pois sempre tive muita dificuldade com o lado social. Desde que me mudei para essa cidade decidi me envolver com qualquer garota que fosse fisicamente atraente, devido as frustrações de amar alguém profundamente, acabei me forçando a ser superficial. Isso foi me afetando aos poucos, até chegar em um ponto que eu simplesmente não via mais razão para isso, foi quando eu me afastei socialmente de tudo e comecei a trabalhar demais, o meu desempenho profissional aumentou, então decidi procurar lugar melhor, melhor salário, que no caso, foi a indicação do meu amigo.
Alguns anos atrás eu estava em uma faze em que projetava sinais e razões em tudo. Algo como me convencer a fazer algo por que música x que lembra pessoa y está tocando no momento em que eu estou no lugar z, então eu devo seguir meu "instinto" de investir naquela pessoa, mesmo se não tiver nenhuma chance.
Voltamos para o mês em que eu entrei na empresa nova, dezembro/16. Em janeiro eu estava almoçando com ela e com o grupo do setor dela, que incluía meu amigo, praticamente todos os dias. No terceiro dia meu amigo confirmou o que já se passava pela minha cabeça.
No almoço acontecia do grupo todo ter um assunto, mas eu e ela outro, não importa aonde estávamos sentados,longe, perto, a conversa era muito interessante pra ficar quieto.
Isso me deixou em completo estado de choque. Ela era simplesmente muito parecida comigo, eu ficava bugado, não sabia o que fazer.
Devido ao stress do trabalho, minha ansiedade tinha aumentado e como medida eu comecei a fazer terapia alguns anos atrás, meu terapeuta foi enfático em me dizer que eu deveria me permitir a amar e a me arriscar. Eu abracei a ideia.
Como um cara timído, nerd, com alto-estima baixa conquista uma garota? Eu não tenho a mínima ideia. Na minha humilde opinião e experiência própria isso é extremamente difícil. Mas não impossível.
Durante o processo da 'conquista' eu estava em um estado de negação a vida, pois eu achava ela atraente e interessante demais para minha pessoa. Passava horas questionando o por que do universo colocar essa pessoa em minha vida, pensando em todas coincidências que aconteceram para eu conhecer ela e de fato me interessar, era algo surreal. Mesmo gosto por música, filmes, nosso assunto preferido era realidade simulada, sério!
Eu decidi que iria ser sincero, deixar claro meu interesse e ver no que dava. Enquanto isso meu amigo e meus novos amigos da empresa comentavam que ela realmente dava sinais de interesse. Nesse ponto eu já estava imaginando coisas. Mas foi frustrante. Ela tinha acabado de sair de um namoro de 7 anos, engatado em uma relação breve de 3 anos e alguns meses antes ela tinha se envolvido com uma pessoa da empresa. Quando eu descobri isso, abri mão. Entrei em um estado de pré-depressão. Eu uso muito metro, ficava parado, esperando o vagão passar pensando em como seria mais facil me jogar ali do que esperar eu conseguir o amor dela.
Isso foi me dominando, essa vontade de querer fazer ela feliz e ver ela ao meu lado me implodia de angustia por não conseguir ver isso se concretizando. Há essa altura eu já sábia que ela não tava fazendo nem um pouco bem para mim, mas eu não estava pensando nisso, estava pensando em fazer ela feliz.
A primeira tentativa foi demonstrar interesse, coisa que fiz até demais. Chamava ela pra sair pro bar toda quinta e sexta feira, não conseguia me conter em ficar feliz com um sorriso de orelha a orelha quando ela aceitava. Era algo maior que o meu auto controle e que a minha força de vontade. Em janeiro foi o mês de colocar as cartas na mesa, eu deixei claro que me interessava por ela e queria sair apenas com ela, então, ela finalmente colocou um ponto final em tudo. Me disse que não queria se envolver com pessoas do trabalho, então contou os relacionamentos dela. Ai tudo fez sentido, finalmente, o medo de falhar que eu tinha, se tornou realidade.
É engraçado, pois foi muito aliviante. Eu finalmente tinha o não dela e com isso podia me conformar com mais um não da vida, me lembrar o por que eu focava no trabalho o por que disso. A frustração me fazia esquecer tudo e me deixava muito produtivo. Eu sempre usei tristeza, raiva e sofrimento ao meu favor.
Começou fevereiro
Nos dias seguintes, o mais absurdo acontece: ela me chama para ir na casa dela. Após o fora, eu imaginava que iria existir um silêncio e que o nosso começo de amizade iria morrer rápido, mas foi o oposto. Amizade era o objetivo dela, talvez uma amizade colorida. Mas definitivamente nada sério. Eu aceitei o convite de ir para casa dela, mas com uma consciência de que eu era apenas amigo. Conhecendo amigos que forçam beijo na balada e fazem esse tipo de coisa escrota, eu nunca iria tentar beijar ela após o fora. Ia ser muito constrangedor se ela não gostasse e isso era o fim do mundo em loop para mim.
Ela deu diversos sinais, mas ao mesmo tempo me contou como sempre teve mais amigos homens do que mulheres, eu achei que tinha lido a situação de uma maneira correta. Nesse dia eu fui o mais tapado possível, fui um amigo mesmo, não tentei nada. Depois disso, quarta feira, na sexta ela estava no bar comigo e com o pessoal do trabalho e convidou para irmos até a casa dela. Eu falei para o meu amigo que tinha interesse nela (não era o amigo do trabalho). Isso foi surreal. Um amigo de um outro ciclo de amigos tinha conhecido ela naquele dia, e ela convidou nós dois para irmos até lá. Eu não entendi nada. Fui sincero com ele, falei que estava muito interessado e que gostaria de tentar algo naquele dia. Ele foi super gente boa e foi embora uma meia hora depois.
Era isso, eu estava sozinho com ela no apartamento dela. Mas na verdade eu estava aprisionado dentro da minha cabeça não me permitindo tentar nada. Então eu não tentei. Nem cheguei perto. Falei tanto que a coitada caiu de sono. Nesse dia eu estava conformado que tinha zerado quaisquer ruídos e chances de relacionamento amoroso com ela.
Eu descobri que ela estava com receio de ficar comigo pelo nível de atenção e interesse que eu demonstrava por ela. Ela estava corretíssima, nós estávamos em sintonias diferentes ainda sim nosso radinho de pilha captava a frequência do outro sem querer. O fatídico dia foi durante um happy hour da empresa, no próprio local onde nós trabalhávamos. O fato de pensar em ver ela me dava ansiedade, então comecei a evitar. Não queria ir até o happy hour por nada, então fiquei na minha mesa trabalhando, naturalmente, quando todos já estavam se alcoolizando e socializando. Eu estaria bem ali a noite inteira, talvez angustiado mas transformando tudo em produtividade, é o que eu sei fazer afinal. Mas meu amigo tramou um plano, chamou a melhor amiga dela no trabalho e quando eu percebi estava sozinho com ela. A reação dela quando eu me aproximei? Foi virar para o outro lado.
Imediatamente voltei para minha mesa, coloquei meu fone e voltei a trabalhar como se nada houvesse acontecido. Ela me liga 3 vezes e comeca a mandar mensagens, pedindo para eu responder, perguntando se eu estava bravo. Eu falei a verdade, que não deveria mais ver ou falar com ela pois estava me atrapalhando e me fazendo mal. Era a hora perfeita para tudo acabar e eu voltar para a minha vida medíocre.
Ela então, as 2 horas da manhã me chama para ir no apartamento dela. Nunca, nem em 100 vidas eu diria não. Eu fui, sentindo que tinha atingido um objetivo superficial, quando na verdade, no meu interior, eu me preocupava com as consequências. Eu não queria encontrar ela bêbada, queria que fosse algo verdadeiro mesmo que fosse uma simples conversa.
Eis que eu fiz a maior besteira da minha vida. Eu preferi ela do que eu mesmo. Eu escolhi por fazer alguém feliz e me fazer infeliz, sem pensar ou medir as consequências. Então eu convenci ela, e a mim mesmo que eu tinha entendido a situação e que nós poderíamos ficar aquele dia e sermos amigos. Acabamos dormindo juntos, foi de fato um dos melhores dias da minha vida, não apenas pelo sexo, mas pela satisfação em fazer alguém que você ama feliz. Comecei a me alimentar daquela sensação. A relação foi cada vez mais tomando uma forma e quando eu percebi, estava ali, moldado, desenhado e exposto: Eu estava vivendo para ela.
Ela me ligava de noite, pedia para eu ir até a casa dela, eu pegava o táxi e ia na hora, não importa o dinheiro, distância, sono, nada, o que importa é fazer essa garota feliz. O problema é que durante o dia, eu sabia que ela não queria nada, então no trabalho eramos apenas colegas na perspectiva dos outros. Eu fui ficando cada vez mais interessado, fui me cedendo cada vez mais, ao chegar no ponto em que eu via que apenas ela definia quando iriamos nos ver. Eu não conseguia chamar ela pra sair e receber um sim, tinha que ser algo quando ela queria. Nessa altura do campeonato eu já estava muito perdido, a consequência da solidão batia na porta mas eu simplesmente ignorava e achava que era uma viagem minha, que tudo iria dar certo e eu iria conquistar ela.
Isso foi criando um vazio dentro de mim, pois eu sabia que ela não tinha terminado o último relacionamento dela de forma amigável, isso começou a afetar ela e consequentemente a mim, que ficava imaginando o que teria acontecido, pois ambos estavam quase morando juntos.
Então, março
O fim veio rápido como o final do feriado de carnaval. Passamos todos os dias juntos transando, conversando, mas aquela bola de neve gigante estava vindo e nós dois sabíamos, o problema é que eu tinha convencido ela que não tinha bola de neve e tava tudo bem. Um dia, ela me chamou para ir na casa dela jantar. Era meio que um big deal, pois nunca havia existido um convite antecipado como esse. Ela tinha arrumado a varanda com luzes e uma mesinha, foi simplesmente uma das coisas mais legais e agradáveis que eu já vivenciei com alguém. Infelizmente a bola de neve engoliu tudo esse dia. Claramente incomodada com a situação, com o que nós estávamos fazendo, ela ficou em um mood estranho e distante de mim. Era a primeira vez que ela fazia aquilo. Eu não entendi e tentei contornar, em um certo ponto eu soube que aquele era o último dia.
Depois disso ela se distanciou de mim, parou de falar comigo frequentemente. Eu achei que era algum tipo de mind game feminino, para eu correr atrás ou algo do tipo. Eu corri atrás e dei de cara em uma parede quilométrica. Não existia mais aquela ponte entre a gente, não existia mais nada a não ser uma tensão de quando vai ser a proxima vez que ela vai me chamar. Os pensamentos suicidas voltaram, eu já não conseguia trabalhar no mesmo local com medo de olhar no olho dela e saborear aquela sensação de que ela não me quer na vida dela, além dos meus pensamentos auto depreciativos de que eu era um bosta e que eu tinha me colocado em uma situação de merda.
A minha ansiedade piorou, tive que me ausentar um mês do trabalho por causa de crises constantes de ansiedade, comecei tratamento psiquiátrico junto com a terapia para segurar a ansiedade, não conseguia sair de casa, não conseguia fazer nada a não ser pensar nesse fracasso. Engordei 17 kg em um período de 9 meses. Eu fazia academia para emagrecer para ela me notar. Tenho 1,78 e estava com 80kg, depois disso, cheguei aos 98kg.
What a ride.
Depis de maio-abril de 2017 eu expliquei para ela que seria melhor se eu me afastasse para sempre. Bloqueei ela em todas minhas redes sociais, toda vez que via ela saia imediatamente do campo de visão dela, pois me dava crise de ansiedade. Evitava todos lugares achando que ela estaria ali. Não existia mais tranquilidade, ela aparecia nos meus sonhos, pesadelos. Eu realmente me perdi. Nunca mais vou conseguir falar com ela, perdi a chance de fazer essa garota incrível feliz. Obviamente a culpa de tudo isso é minha. Não tive maturidade para lidar e deu no que deu.
Atualmente eu lido com isso de uma maneira objetiva, que é: aprendizado. A vontade de morrer sempre vai existir, afinal, eu ainda amo essa garota. Nunca vou superar totalmente essa experiência devido a maneira que aconteceu. Eu me isolei socialmente por quase 12 meses, cheguei a excluir diversos amigos de longa data apenas por que eles namoravam. Apaguei familia de todas redes sociais, tudo me fazia lembrar de como eu era um miserável solitário que tinha falhado na única chance de conquistar a mulher da minha vida.
A única razão que eu estou escrevendo tudo isso, é por que eu preciso tirar isso de dentro de mim. Se eu realmente quero viver e tenho amor a mim mesmo, eu tenho que seguir em frente e ser resistente. Isso foi apenas um aprendizado, dos mais difíceis de toda minha vida. Eu questionava diariamente o por que de tudo isso ter acontecido. Eu nunca mais vou ser o mesmo, essa lição me mostrou muita coisa, uma delas é que eu tenho uma batalha constante com o meu eu interior. Nosso auto controle define quem somos, se você não em auto controle, possivelmente você vai se colocar em situações que podem mudar você e sua vida para sempre, eu espero que de maneira positiva.
Eu ainda tenho muito tempo pela frente para transformar o saldo dessa história em positivo. Mas o que eu queria mesmo era estar com ela.
Saudades de você, n.
TLDR;
Me iludi com uma colega de trabalho que era muito parecida comigo, fingi que estava preparado para uma relação superficial mas me apaixonei e acabei me perdendo dentro de mim mesmo. Entrei em depressão e me isolei socialmente por quase um ano, suicídio era mais aliviante do que pensar em um futuro positivo. A existência era dolorosa e pesada. Hoje eu sei que isso foi um aprendizado, daqueles fudidos que não é para a gente esquecer. Vou levar isso pro resto da vida, espero que com o tempo transforme o resultado em algo positivo.
submitted by koyaanisqatsi_guy to desabafos [link] [comments]


2015.12.15 20:18 MarceloMosmann Obesidade não é simplesmente uma escolha

Obesidade é um dos maiores problemas de saúde no mundo, e vem normalmente acompanhada de várias outras doenças, que combinadas matam e fazem sofrer milhões de pessoas por ano.(1, 2) Essas doenças incluem diabetes, doença cardiovascular, câncer, derrame, demência, síndrome do ovário policístico, disfunção erétil, artrite e outras.
Obesidade e Força de Vontade
Quando o assunto é ganho de peso e obesidade, muitas pessoas acham que engordar é simplesmente uma questão de falta de força de vontade. Culpam a falta de força de vontade e a preguiça pela obesidade.(1, 2) Isso é ridículo! Esse tipo de pensamento só faz o obeso se sentir mal consigo mesmo, acreditar que a culpa é só dele, quando na verdade não é! O que precisamos é encontrar uma forma de resgatar a saúde do obeso, mas esse tipo de pensamento o prende nessa condição de gordura e doença. Concordo que ganhar peso (ou perder) é um resultado de nosso comportamento. Entretanto o comportamento humano é algo muito complexo. Somos guiados, muitas vezes sem nem nos darmos conta, por fatores como genética, hormônios, ambiente e questões de saúde. Comportamento alimentar é guiado, assim como comportamento sexual, por vários processos. Alguns desses fatores estão fora de nosso controle racional.
Dizer que esse comportamento e o ganho de peso que dele resulta é simplesmente uma questão de falta de força de vontade é muito simplista. Isso não leva em conta todos os outros fatores que determinam o que fazemos e o que deixamos de fazer. A força de vontade da maioria das pessoas desmorona frente à força desses sinais internos e externos. Estes são os fatores que acredito estarem causando a epidemia de ganho de peso, obesidade e doença metabólica, e eles não têm nada a ver com a vontade ou preguiça das pessoas.
Genética e Fatores Pré-Natais
A saúde é especialmente importante no início da vida, pois afeta tudo o que vem depois. Muita coisa é determinada, na verdade, ainda no útero da mãe.(1) A dieta e escolhas da mãe são de extrema importância, e podem influenciar os futuros comportamentos e composição corporal do bebê. Estudos demonstram que mulheres que ganham muito peso na gravidez têm normalmente filhos mais pesados quando estes estiverem com 3 anos de idade.(1) Da mesma forma, crianças que têm pais e avós obesos têm maior chance e serem obesas do que crianças que tenham pais e avós com peso normal.(1, 2) Os genes que recebemos dos nossos pais podem determinar se vamos ganhar muito peso ao não ao longo da vida.(1) Embora o que acontece no início da vida e fatores genéticos não sejam responsáveis exclusivos pela obesidade, contribuem no sentido de predispor as pessoas a ganharem peso. Isso não quer dizer que a obesidade seja totalmente predeterminada, pois nossos genes não são tão imutáveis como parece. Os sinais que mandamos para esses genes podem ter um enorme efeito em quais genes se sobrepõe aos outros. Esses sinais são as nossas escolhas de estilo de vida e dieta.
Nascimento e Hábitos da Infância
Não se sabe a razão, mas crianças nascidas de cesariana têm maior propensão a serem obesas.(1) Isso também se aplica a bebês alimentados com fórmula, que tendem a ser mais pesados do que aqueles amamentados pela mãe.(1) A razão pode estar na formação inicial da colônia de bactérias residentes no aparelho digestivo, o que pode afetar o modo como nosso corpo reserva gordura.(1, 2) Criar hábitos alimentares saudáveis logo nos primeiros anos de vida pode ser a maior forma de prevenir a obesidade e doenças que a acompanham.(1, 2) Crianças que desenvolvem gosto por comidas saudáveis ao invés de comida processada têm maior chance de manter um peso normal ao longo da vida. Quase metade das crianças obesas continuará obesa na adolescência, e 4 em cada 5 adolescentes obesos serão adultos obesos.(1)
Comidas Processadas "Superpalatáveis"
Comidas processadas hoje são pouco mais do que ingredientes refinados misturados a uma porção de produtos químicos. E não são apenas comidas, mas bebidas também, como refrigerantes e muitos tipos de sucos. Esses produtos são criados para serem baratos, durar bastante na prateleira e ter um gosto tão incrível, tão saboroso, que simplesmente não conseguimos parar de comer.(1) Ao fazer as comidas "superpalatáveis" ou "supersaborosas" os fabricantes garantem que comeremos muito, que compraremos mais para comer tudo e compraremos novamente.
Vício em Comida
Essa comida altamente processada, projetada para ser "supersaborosa", causa uma estimulação poderosa do centro de recompensa de nosso cérebro.(1) Sabe o que mais tem o mesmo efeito em nosso cérebro? Drogas como álcool, cocaína e nicotina. A verdade é que algumas pessoas podem ficar totalmente viciadas nessas comidas. As pessoas acabam perdendo o controle sobre seus hábitos alimentares, assim como um alcoólatra perde o controle sobre o uso do álcool.(1) Isso acontece com muito maior frequência do que você pode imaginar. Você com certeza conhece alguém, por exemplo, que toma aquele famoso refrigerante de Cola várias vezes ao dia. É bem sabido e comprovado que esse refrigerante tem alto potencial viciante. Vício é um assunto complexo com base biológica que pode ser bem difícil de superar. Quem se torna viciado em algo perde sua liberdade de escolha. A bioquímica do cérebro toma conta e começa a fazer escolhas que normalmente não são boas para o viciado.(1) Entre os obesos, 1 em cada 4 pessoas pode ser viciada em comida.
Disponibilidade de Comida
Houve no mundo, nas últimas décadas, um aumento gigantesco na disponibilidade de comida, especialmente comida processada. Postos de gasolina e qualquer lojinha agora oferecem produtos alimentares tentadores, verdadeiras bombas de açúcar, químicos e gorduras, de forma que comer por impulso se tornou extremamente fácil. Outro problema grave é que comida processada é normalmente mais barata do que comida de verdade. Algumas pessoas, especialmente em regiões pobres, nem mesmo têm acesso a comida de verdade. Os mercadinhos dessas áreas vendem refrigerantes, pão de forma branco, doces, margarina, comidas altamente processadas que duram na prateleira. Como isso pode ser uma questão de escolha se na verdade as pessoas não têm escolha?
Educação alimentar errada
Apesar da importância de uma nutrição correta, crianças e adultos geralmente não são ensinados como comer corretamente. Ensinar às crianças quais são os alimentos corretos, a importância de uma dieta saudável e nutrição apropriada, as ajuda a fazer melhores escolhas mais adiante na vida. Essa é a base dos hábitos alimentares que levarão para a vida adulta.(1, 2)
Marketing Agressivo (direcionado especialmente às crianças)
A indústria de alimentos processados é muito agressiva com seu marketing.(1) Suas táticas podem ser antiéticas e eles constantemente anunciam produtos nada saudáveis como se nos fizessem bem.(1, 2, 3) Muito desse marketing é direcionado diretamente às crianças, que estão se tornando obesas, diabéticas e viciadas em produtos que nem deveriam ser chamados de comida. Isso tudo está acontecendo antes mesmo que essas crianças tenham idade suficiente para tomar decisões conscientes sobre sua saúde.
Desinformação
Em todo o mundo as pessoas estão sendo informadas de modo errado ou falso sobre saúde e nutrição.(1, 2) A principal razão para isso é que as grandes companhias produtoras de alimentos patrocinam os cientistas e as organizações de saúde que dão suporte às declarações e ideias mais interessantes do ponto de vista financeiro. O único intuito é nos influenciar com suas pesquisas e recomendações.(1, 2, 3) Até a informação oficial promovida pelo governo parece ser planejada de modo a proteger interesses de empresas às custas da saúde da população. Não vou nem entrar em detalhes sobre o que se diz por aí sobre bacon, banana, leite, sal… Mas adianto que temos sido mal informados tem muito tempo, e o que acreditamos ser verdade não passa disso, uma crença. Uma crença sem base científica.(1, 2, 3) Como então podemos tomar melhores decisões se as informações a que somos expostos estão aí para nos enganar? Felizmente isso está começando a mudar.(1, 2)
Sono
Desde quando é motivo de orgulho dormir pouco? Pessoas que dormem nove horas por dia são chamadas de preguiçosas, enquanto aquelas que em cinco horas já pularam da cama são consideradas bons exemplos. Dormir mal é ligado a doenças cardíacas, diabete e depressão, além de ser um enorme fator de risco para obesidade. Isso mesmo, dormir pouco ou mal engorda!(1, 2, 3, 4) Além disso, a falta de uma boa noite de sono pode nos fazer ter mais fome. Também nos deixa cansados e com pouca motivação para comer direito e fazer exercício.(1) Um estudo revelou que homens jovens mantidos em regime de privação de sono por apenas uma semana desenvolvem resistência à insulina e gastam menos energia quando em repouso.(1) Outra pesquisa sugere que perder apenas 30 minutos de sono por dia pode apresentar consequências a longo prazo para o peso e metabolismo corporais.(1) Durma pouco por apenas 3 noites, umas 4 horas, e o nível de gordura no sangue permanecerá elevado, ao invés de acontecer uma redução gradual durante o sono. Esse nível aumentado reduz a sensibilidade à insulina e leva, com o tempo, à resistência.(1, 2, 3) A privação constante do sono, por problemas respiratórios ou outras causas, pode dobrar o risco de crianças se tornarem adolescentes obesos. Uma noite apenas de privação de sono tem pior efeito na redução da sensibilidade à insulina que uma dieta de "junk food" durante 6 meses. É isso mesmo, não dormir uma noite diminui mais a sensibilidade à insulina do que comer porcarias por meio ano!(1) Estamos dormindo muito menos do que dormíamos no passado, e o problema não para por aí. A qualidade do nosso sono também vem caindo. Sabe onde está o maior problema? Está no uso de luz artificial, telas de computadores, smartphones e televisores à noite. A exposição noturna à luz altera nosso ritmo circadiano, perturba o ciclo natural de dormir e despertar, que é crucial para o bom funcionamento do corpo e mente.(1, 2) Essa luz azulada que emitem acaba contribuindo para a obesidade, nos fazendo mais propensos ao ganho de peso e à síndrome metabólica, câncer e depressão.(1, 2, 3, 4) O bom sono é tão importante quanto uma boa dieta e exercício para nossa saúde, e é tão desprezado.
Poluição
Pois é, agora até respirar engorda!(1) A poluição provocada pela circulação de veículos, a queima de carvão para geração de energia, a fumaça dos cigarros e alguns compostos presentes em certos plásticos, pesticidas e solventes são as maiores fontes de preocupação, com suas partículas minúsculas e agressivas capazes de detonar inflamações generalizadas e alterar o metabolismo e a produção hormonal. No curto prazo os efeitos são mínimos, mas ao longo de vários anos esse contato com poluentes pode ser suficiente para causar doenças graves que vão além dos distúrbios respiratórios comumente associados à poluição.(1) O mecanismo exato ainda está em discussão, mas experimentos sugerem que a poluição do ar detona uma reação em cadeia no organismo. Essas partículas irritantes podem liberar no sangue uma enorme quantidade de moléculas inflamatórias, chamadas citocinas. Isso interfere na resposta à insulina e bagunça os hormônios e o processamento do apetite pelo cérebro. Tudo isso atrapalha o equilíbrio de energia do organismo, levando a uma série de problemas no metabolismo, como a diabetes e a obesidade, além de problemas cardiovasculares como a hipertensão.(1, 2) Os cientistas se preocupam especialmente com os efeitos nas crianças, e alguns chegam a considerar a hipótese de que os poluentes que uma gestante respira podem alterar o metabolismo dos bebês, tornando-os mais propensos à obesidade.(1, 2, 3) Estudos já concluíram que crianças que vivem em área com elevado tráfego rodoviário são mais gordas.(1, 2) Crianças também estão sujeitas à irritação das vias respiratórias e a quadros infecciosos. Em geral, o motivo mais comum é o crescimento exagerado das amígdalas e da adenoide, o que prejudica a oxigenação do organismo como um todo durante o sono. Como já vimos, noites mal dormidas podem levar ao ganho de peso, além de serem a origem de problemas comportamentais e de aprendizagem, como hiperatividade e agressividade. Fique atento, um dos primeiros sintomas é o ronco.(1) Os riscos podem estar dentro de casa também, pois o fumo passivo leva a um aumento de peso mais rápido em crianças e adolescentes. As soluções são conhecidas, mas difíceis de colocar em prática: diminuir a poluição atmosférica, redesenhar as ruas para que pedestres e ciclistas fiquem menos expostos diretamente às emissões, aumentar o número de purificadores de ar em casas, escolas e escritórios. Também se deve evitar o exercício ao ar livre em dias de muita poluição, ou ao menos evitar os piores horários. Não fumar, ao menos dentro de casa, ajuda muito.
Remédios e Condições de Saúde
Muitas doenças e condições de saúde necessitam de remédios para serem tratadas. Infelizmente o ganho de peso é um efeito colateral comum de muitas medicações. Estão aí incluídos os remédios para diabetes, antidepressivos e antipsicóticos.(1) Essas medicações podem aumentar o apetite, reduzir o metabolismo, fazer com que o corpo passe a armazenar mais gordura ou alterar sua capacidade de queimar gordura. Veja bem, não é uma "deficiência de força de vontade" o que é causado pelas medicações. Além disso, algumas condições de saúde podem predispor as pessoas a ganhar peso. Um exemplo é o hipotireoidismo.(1, 2, 3)
Exercício
Você não deveria fazer exercício com o objetivo de queimar calorias. As calorias queimadas durante o exercício são normalmente insignificantes, podem ser repostas facilmente ao comer um pouquinho a mais na próxima refeição. Ou você acredita mesmo que consegue fazer exercício e comer menos? Qual é a chance de que você, com fome, vá ter energia para se exercitar, por anos? Isso não é sustentável.(1) Entretanto, não me entenda mal, exercício é fundamental tanto para a saúde física quanto mental. Exercício, a longo prazo, pode ajudar a perder peso melhorando o metabolismo, aumentando a massa muscular e fazendo a gente se sentir incrível. Mas é muito importante que se faça o tipo correto de exercício. Tempo na esteira ou na bicicleta dificilmente vai dar bons resultados e quando feito demais pode até levar ao ganho de gordura. Quando uma pessoa realiza treinos mais longos, com baixa intensidade (aeróbios), além de ter uma queda do metabolismo, tende a liberar alguns hormônios que podem ser muito negativos para o objetivo de emagrecer. Isso até resulta em perda de peso, mas da pior forma possível. Veja bem, o que se está perdendo nesse caso é a massa magra, os músculos. O efeito é pequeno sobre a gordura corporal. Já os exercícios de curta duração e alta intensidade são o oposto dos aeróbios. Levam não só ao consumo energético durante a atividade física (que normalmente é menor do que em exercícios prolongados), mas têm influência também nos períodos de recuperação pelos estímulos hormonais que ocorrerão. Ocorre queima de calorias por muitas horas após o exercício, assim como ativação de enzimas ligadas à utilização da gordura corpórea como energia, além de melhora da resistência à insulina e de outros indicadores importantes de saúde.(1, 2) Musculação com cargas altas aumenta a massa magra e influencia de modo positivo nos hormônios, o que ajuda muito na perda de peso. Trabalhos com elevadas repetições, baixos níveis de esforço e baixas cargas não são um bom caminho. Treinos intervalados de alta intensidade são uma excelente maneira de entrar em forma que ainda por cima melhoram o metabolismo e aumentam os níveis de hormônio do crescimento, tão importante para uma vida saudável. Além de mais efetivos, treinos intensos têm menor duração e menor frequência semanal. Como a falta de tempo é um dos maiores motivos para o sedentarismo, esses treinos são a solução ideal para perda de gordura, além de aumentarem a chance de adesão a programas de exercícios. Pode tentar, mas você não consegue correr mais do que uma má dieta.(1, 2)
Estrogênio e Testosterona
Estrogênio é o hormônio sexual feminino, secretado pelos ovários. Umas das funções desse hormônio é influenciar uma enzima chamada lipase lipoproteica - LPL -, que por sua vez "puxa" gorduras da corrente sanguínea para dentro de qualquer célula a que esteja ligada.(1) Quando os níveis de estrogênio estão normais, a atividade da LPL é controlada e o corpo acumula pouca gordura. Mas se há pouco estrogênio há também mais LPL nas células de gordura, o que faz com que o corpo acumule gordura demais. É isso que faz engordar as mulheres que tiveram os ovários removidos ou passaram pela menopausa.(1, 2) O hormônio sexual masculino, testosterona, age da mesma forma, mas a LPL apresenta maior ação nos tecidos gordurosos da barriga. Após as menopausa a atividade da LPL na região abdominal das mulheres se equipara à dos homens e elas começam a acumular gordura ali também.(1, 2)
Poderosos "Hormônios da Fome"
Fome e alimentação descontrolada não são causados simplesmente por gula ou falta de força de vontade. A fome é controlada por hormônios muito poderosos, envolvendo áreas do cérebro responsáveis por desejos e recompensas.(1) Grande parte dos obesos tem a secreção e/ou recepção desses hormônios desreguladas, o que altera o comportamento alimentar e faz com que a vontade de comer mais e mais seja quase irresistível.(1, 2, 3) Quando comemos nosso cérebro secreta dopamina e outros químicos que nos dão prazer. Esta é a razão pela qual a maioria de nós adora comer. É um sistema que evoluiu para garantir que comêssemos o suficiente para ter toda a energia e nutrientes de que precisamos.(1, 2, 3) Pois a comida industrializada é feita de uma forma que acaba liberando muito mais desses hormônios. Assim sentimos muito mais fome e prazer do que seria normal, levando a um ciclo vicioso.
Resistência à Leptina
Leptina é um hormônio importante na regulagem do apetite e metabolismo.(1) É produzido pelas células de gordura e sua função é sinalizar ao cérebro que estamos "cheios" e devemos parar de comer. A leptina regula, assim, a quantidade de comida que ingerimos e a energia que gastamos, além de quanta gordura armazenamos.(1) Quanto mais gordura uma célula de gordura tiver, mais leptina vai produzir. Então pessoas obesas produzem grandes quantidades de leptina e deveriam se sentir satisfeitas antes, correto? Assim não comeriam tanto. Acontece que obesos tendem a ter uma condição chamada Resistência à Leptina, uma das principais causas da obesidade. Ainda que seus corpos produzam muita leptina, o cérebro não recebe essa informação de forma correta e "pensa" que está passando fome, mesmo tendo armazenada mais gordura do que precisa.(1) Isso causa mudanças fisiológicas e de comportamento, numa tentativa de armazenar a gordura que estaria em falta.(1) Aumenta a fome e o gasto de energia diminui, de modo a prevenir a desnutrição. Usar a "força de vontade" contra os sinais de fome e preguiça que se instalam é quase impossível para muitas pessoas. Alimentação exagerada e preguiça não são causas do sobrepeso, e sim consequências ou sintomas. Você não engorda porque come demais e gasta energia de menos. É o contrário: você come demais e gasta menos energia porque está engordando.
Insulina
A insulina é outro hormônio extremamente importante, que regula entre outras coisas o armazenamento e produção de energia. Seu papel principal é regular a quantidade de nutrientes circulando na corrente sanguínea. Embora regule principalmente o açúcar no sangue, também afeta a queima de proteínas e gorduras.(1) Ela faz nosso corpo guardar energia nas células de gordura e impede que as células musculares queimem gorduras da corrente sanguínea, queimando apenas açúcares. Qualquer gordura que conseguir escapar das células para o sangue acaba sendo armazenada novamente em alguma célula de gordura. Devido a várias razões, às vezes as células param de responder da forma esperada à insulina, ou seja, se tornam "resistentes" à insulina. O corpo então produz mais insulina, para que as células respondam da forma esperada, o que faz piorar essa "resistência" das células. Com o tempo o problema leva a danos no pâncreas - que produz a insulina -, altos níveis de açúcar no sangue - o que é tóxico - e diabetes tipo 2, entre várias outras doenças graves.(1, 2) Os níveis elevados de insulina no corpo fazem com que os nutrientes sejam seletivamente armazenados nas células de gordura, levando ao ganho de peso e obesidade. A Resistência à Insulina tem como principais causas a alimentação exagerada, ganho de peso, obesidade e gordura visceral - a famosa barriga de cerveja. Entretanto, pessoas magras também podem ser resistentes à insulina.(1, 2, 3) Há outras várias potenciais causas, entre elas problemas com as bactérias benignas do nosso sistema digestivo, o alto consumo de frutose, inflamações, e falta de atividade física.(1, 2, 3, 4, 5) Se você tem sobrepeso ou é obeso, especialmente se tem muita gordura na região da barriga, se tem baixo HDL - o "bom" colesterol - ou triglicerídeos acima do normal, as chances são de que você seja resistente à insulina.(1, 2)
Açúcar
Por fim, o pior componente da dieta moderna. Quando consumido em excesso, o açúcar muda a bioquímica e hormônios do corpo, contribuindo em muito para o ganho de peso e todos os males que se seguem. O açúcar adicionado aos alimentos processados - basta ler o rótulo, é de assustar como quase tudo tem adição de açúcar - é metade glicose e metade frutose. O maior problema está na frutose, que em excesso causa elevação dos níveis de insulina e resistência à insulina, pode causar resistência à leptina e não sacia da mesma maneira que a glicose. Isso acaba contribuindo para o armazenamento de energia nas células de gordura e obesidade.
Para Pensar
Não use este texto como desculpa para desistir e decidir que o seu destino é mesmo ser gordo e doente. O meu objetivo com o texto é mostrar às pessoas quais são os verdadeiros fatores responsáveis por essa epidemia de obesidade. Não é uma questão de "culpa individual", preguiça ou gula. A não ser que haja uma condição de saúde, o controle do seu peso e gordura ainda está em suas mãos. É possível emagrecer e permanecer magro. A informação para isso está cada vez mais disponível, basta estar aberto, se perguntar se o que você vem fazendo é o correto ou está levando a engordar e adoecer. Normalmente dá trabalho, não é fácil, requer algumas mudanças de estilo de vida, mas muitas pessoas têm sucesso mesmo tendo muitas coisas contra elas. Você também pode vencer este problema. Ah, ok, os obstáculos! Todos têm obstáculos. Verdade. O Obama tem, o Guga tem, a Fátima Bernardes tem. Até eu tenho obstáculos, imagina só! Só porque as pessoas são bem-sucedidas não quer dizer que não tenham suas pedras no caminho. Agora, o que essas pessoas fazem é superar. Elas superam os problemas e obstáculos. Ninguém nasce um sucesso. Ninguém é bem sucedido logo no início. Ok, ok, algumas pessoas têm uns obstáculos um pouco - ou um tanto - maiores. Mas isso é irrelevante, isso é só um teste. Família, dívidas, três empregos, quatro filhos, pé quebrado, ou mesmo dormir no chão da sala de um amigo. Ou pior, a gordura é tanta que fica difícil caminhar até a porta, você está desempregado e tem um cunhado maluco que te enche a cabeça e atrapalha a vida 24 horas por dia. Tá tudo bem, você nasceu para vencer. Isso tudo é só um teste. A pergunta importante aqui é a seguinte: você vai superar esses obstáculos e sair dessa mais forte? Ou vai ficar na mesma, seguindo o padrão de sempre, esperando lá no fundo que um dia tudo melhore mas na verdade vendo o barco afundar? É contigo determinar se esse obstáculo é algo a ser superado. Faz o seguinte, repete comigo: "Essa m**** é temporária, eu vou superar!" Eu gosto muito de uma pequena frase em Inglês, "relentless forward motion". Quer dizer Movimento à Frente Incansável. Ou seja, superação pura, sem se entregar, sem desistir. É focar em um objetivo e não parar até alcançá-lo. Não estou tentando dar uma palestra motivacional aqui. Estou só te dando a real. Se decidiu fazer algo, superar algo, não desista. Simples assim.
submitted by MarceloMosmann to brasil [link] [comments]


Anjos de Resgate - Amigos pela fé  Mais que amigos (Ao ... Matisse - Más Que Amigos (Lyric Video) - YouTube Anjos de Resgate - Mais que Amigos Mais que amigos - DVD Luan Santana - 2013 - Oficial - YouTube 07. Amigos do Peito (Somos Amigos)  A Turma do Balão ... Somos mais que amigos(anjos do resgate) 8 Sinais De Que Você É Mais Inteligente Do Que As Pessoas ... Karaokê - Mais Que Amigos (Anjos de Resgate) PLAYBACK ...

15 sinais de que você está apaixonada pelo seu melhor ...

  1. Anjos de Resgate - Amigos pela fé Mais que amigos (Ao ...
  2. Matisse - Más Que Amigos (Lyric Video) - YouTube
  3. Anjos de Resgate - Mais que Amigos
  4. Mais que amigos - DVD Luan Santana - 2013 - Oficial - YouTube
  5. 07. Amigos do Peito (Somos Amigos) A Turma do Balão ...
  6. Somos mais que amigos(anjos do resgate)
  7. 8 Sinais De Que Você É Mais Inteligente Do Que As Pessoas ...
  8. Karaokê - Mais Que Amigos (Anjos de Resgate) PLAYBACK ...

Enjoy the videos and music you love, upload original content, and share it all with friends, family, and the world on YouTube. Vídeo extraído do DVD O NOSSO TEMPO É HOJE - Luan Santana, gravado na Arena Maeda em ITU no ano de 2013! Inscreva-se e deixe seu like para garantir cada vez mais playbacks. Pedidos no Facebook: https://fb.me/gosplaybacks Canal Recomendado EYSHILA De Todo Coração... Lista Oficial Spotify: http://smarturl.it/matisseoficialsp Consigue Más Que Amigos en: Apple Music: http://smarturl.it/MatisseEnconteAcuAm iTunes: http://sma... Anjos de Resgate - Amigos pela fé Mais que amigos (Ao Vivo) Inscreva-se no meu canal e ative o sino de notificações para não perder nenhum lançamento. Ouça... O que é ser inteligente? Às vezes, a inteligência significa muito mais que ir bem nas provas ou saber o conteúdo dos livros de história de cor. Ser inteligen... música feita para pessoas, que ama os amigos que são formas que deus fez para nos, ajudar na terra.e tbm ao seu anjo protetor ..abrass a todos espero que gostem. Mais que Amigos Anjos de Resgate Composição : Dalvimar Gallo Não é preciso mais adormecer Pra sonhar com um anjo descendo. Do céu, basta você perceber Que so...